quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

domingo, 27 de novembro de 2011

Estação Bernardo Sayão - Núcleo Bandeirante - DF e Vagões abandonados na antiga Rodoferroviária de Brasília - DF

Estação Bernardo Sayão - Núcleo Bandeirantes - DF

Não posso começar essa postagem sem falar antes sobre Bernardo Sayão, um dos primeiros pioneiros a se transferir para Brasília, antes mesmo de sua construção, por causa de um convite pessoal de Juscelino Kubitscheck para ele, engenheiro carioca, vice governador de Goiás, para construir a Rodovia Transbrasiliana, a Belém-Brasília. Ironicamente esse pioneiro e desbravador não viu sua grande obre ficar pronta, foi morto por uma árvore derrubada na construção da estrada. 
Viva Bernardo Sayão! viajei tantas vezes pelo seu caminho, que nem mais me lembro quantas.

A estação foi inaugurada no aniversário de 8 anos de Brasília, ao som de "A Banda" de Chico Buarque. O trem conduzia 5 vagões, com passageiros que vinham de São Paulo (Campinas-Brasília), e em sem auge, a estação suportava 10 trens por dia, cada um levando 500 pessoas. Caramba! esse Brasil realmente existiu? como eram promissoras as esperanças dos brasileiros nos anos 60, parecia que ia dar certo.
A viagem durava 15 horas, com camarotes espaçosos e luxuosos, sempre com clima de festa na partida e durante a viagem. pena que essa festa só durou 30 anos, pois após a privatização das rodovias brasileiras nos anos 90, hoje só se transporta areia pela rodovia.

Hoje a estação está ocupada por antigos funcionários da ferrovia e, graças a eles, a estação ainda não ruiu de vez, pois eles fazem a manutenção do local. Há vários projetos, todos engavetados, os quais enfrentam a louca burocracia brasileira para poderem reviver aquele local.

Começarei a postagem com imagens antigas da estação e panfletos e páginas de revistas sobre as rodovias no Brasil: o grande avanço nacional na época, hoje só memória remota, esquecida, abandonada.

Depois das imagens da Estação, a postagem dos vagões abandonados. 

























































Fontes:

http://doc.brazilia.jor.br/TrilhosHist/1968refesa.htm

http://doc.brazilia.jor.br/TrilhosHist/1968minuano.htm

http://doc.brazilia.jor.br/Trilhos/bSayao2.htm

http://doc.brazilia.jor.br/Trilhos/bSayaoArmazem.htm

http://www.estacoesferroviarias.com.br/efgoiaz/bernardo.htm

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2011/07/10/internas_economia,260552/divida-trabalhista-da-rede-ferroviaria-nacional-pode-chegar-a-r-20-bilhoes.shtml

Bela reportagem sobre a Estação:

http://www.youtube.com/watch?v=vEqUEYYkSW4&feature=related

Um vídeo que encontrei que mostram a Estação á época de sua inauguração:

http://www.youtube.com/watch?v=cWI6tPBSaWo&feature=related

Um pouco sobre quem foi Bernado Sayão:

http://www.infobrasilia.com.br/bernardo2.htm

Vídeo e reportagem sobre Bernardo Sayão:

http://www.youtube.com/watch?v=NbDHsgY4UMs

http://www.youtube.com/watch?v=ipD-_JTOPVw&feature=related




Vagões abandonado na Antiga Rodoferroviária de Brasília - DF

Esses vagões estão abandonados, com certeza, por causa de dívidas trabalhistas adquiridas pelas empresas ferroviárias, após a privatização. Entrei no vagão e encontrei seu único morador: um pardal que dava rasantes em nossas cabeças, a fim de intimidar os invasores de seu lar. resquícios de fogueira. Aliás, me pergunto, por qual motivo, em lugares abandonados sempre as pessoas ateiam fogo? (em minhas visitas sempre encontrei sinais de incêndio).
Os grafiteiros e os pichadores já descobriram o local, e deram um pouco mais de humanidade e cor ao vagão, que antes era azul celeste, hoje escurecido pela ferrugem.

A imagem do Google Earth é de 2002, mas o vagão já estava lá.






































































TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS