terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Fazendas de Quissamã - Norte Fluminense - RJ





Quissamã é uma região do Estado do Rio de Janeiro colonizada desde 1627. Está localizado na mesorregião do Norte Fluminense, microregião de Macaé. O município possui um dos maiores patrimônios históricos e culturais do Estado, o qual está diretamente conectado com o desenvolvimento e apogeu da produção do açúcar no norte fluminense.
Várias construções estão abertas à visitação como a Casa da Fazenda Mato de Pipa, de 1777 (a mais antiga casa de senhor de engenho do norte fluminense) e casa da Fazenda Quissamã de 1826 (que pertenceu aos viscondes de Araruama e de Quissamã e, atualmente, é um museu). Existem vários outros solares do século XIX bem preservados como os das fazendas São Manoel, Santa Francisca, Melo, Manoel, Floresta, entre outros.
Outras construções históricas estão completamente abandonadas, umas mais preservadas, outras não, e são essas que nos interessam aqui no blog. São construções muito bonitas e que fazem parte de um conjunto muito único de ruínas (somente a Casa da Fazenda Machadinha está em estado de ruína), que eu não conheço no Brasil igual exemplo. Sua unicidade está em estarem tão perto uma das outras e num mesmo município, que é relativamente pequeno. São elas : O Engenho Central de Quissamã (o primeiro da América latina); a Casa da Fazenda São Domingos, de 1915, no estilo de casas do ecletismo de chácaras urbanas do fim do século 19 as ruínas da Casa da Fazenda Machadinha, que pertenceu ao Duque de Caxias, cujas senzalas ainda são habitadas por pessoas que preservam a culinária da região, o canto e a dança do "Fado de Quissamã", uma espécie de jongo;  e a Casa da Fazenda Mandiqüera, a maior e mais imponente de todas as outras, provavelmente a mais importante e representativa dos tempos áureos do acúcar. Vamos lá!



Usina do Engenho Central de Quissamã


O Engenho Central de Quissamã, foi o primeiro da América do Sul. Inaugurado em 1877, possuia máquinas a vapor da época da inauguração em funciomento até os anos 80.
As locomotivas utilizadas para transportar os barões e viscondes até a vila, e também a cana de açúcar das fazendas para a Usina, ainda se encontram no pátio da indústria desativada.
Localização: RJ-196 Município : Quissamã
Época de construção: 1877
Estado de conservação/grau de preservação: Satisfatório/Parcialmente preservado
Uso original/atual : Engenho / Desativado
Categoria: Arquitetura Industrial


Fonte: http://www.panoramio.com/photo/8589615










Link sobre a história da Usina:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Engenho_Central_de_Quissam%C3%A3



Casa da Fazenda São Domingos

Construída em 1915 pelo Dr. Jorge Caldas.Possui arquitetura semelhante às casas das chácaras urbanas do final do século XIX, que buscavam a ruralização do ambiente urbano. Mas aqui ocorre o inverso: a urbanização do ambiente rural.
Localização: Na QSM-07, conhecida com Estrada das Palmeiras
Município : Quissamã
Época de construção: 1915/1920
Estado de conservação/grau de preservação: Ruim/Preservado integralmente
Uso original/atual :Moradia / Moradia
Categoria: Arquitetura Rural
Propriedade: Cia Engenho Central de Quissamã


Fonte: http://www.panoramio.com/photo/8589736



























Links:











Casa da Fazenda Machadinha


A Fazenda Machadinha foi construída pelo 2º Visconde Ururay em 1867, Manoel Carneira da Silva, filho do 1º Barão e Visconde de Araruama.

Foi residência do 2º Visconde de Ururay e de sua esposa, Ana do Loreto, filha do Duque de Caxias. No local existia uma construção anterior de 1803, aproveitada como dependëncias de serviços da construção atual. A capela em louvor a Nª Srª do Patrocínio é datada de 1833.
Situada próxima à lagoa Feia, a fazenda constitui- se em um notável exemplar das grandes propriedades de engenho de cana de açúcar, do norte fluminense. Foi adquirida no século XVIII pelo capitão João Carneiro da Silva, contratador de diamantes da Coroa portuguesa. A casa de fazenda localiza-se no centro de extensa planície coberta por um canavial, em terreno ajardinado e com um renque de seis palmeiras imperiais ao longo da fachada sul.
Na frente fica o extenso terreiro com a casa dos colonos (antigas senzalas) e a capela datada de 1833. Uma fachada está voltada para a lagoa Feia, outra, na lateral, é precedida por varanda com arcada.
A casa apalacetada, de elaborada linguagem neoclássica, foi iniciada em 1863, possivelmente comandada pelo empreiteiro conhecido como Antônio Alemão e ficou pronta em 1868. Apresenta-se com frontão, platibanda vazada, cunhais nos quatro cantos encimados pelas estátuas alegóricas das estações do ano, arcadas, portas e janelas com bandeiras de desenhos graciosos e gradis de fino risco. O conjunto tombado foi desapropriado pela Prefeitura Municipal de Quissamã, que propõe a sua recuperação e valorização. As edificaçãoes da antiga senzala estão ocupadas pelas famílias dos antigos empregados do Engenho Central de Quissamã, último proprietário da fazenda.
A casa da fazenda encontra-se em processo avançado de arruinamento, mas possui as senzalas habitadas e preservadas.
A fazenda hospedou por diversas ocasiões o Duque de Caxias, que era sogro do Visconde. O ambiente histórico foi tombado pelo Inepac em 1978, que é composto pelas ruínas da casa grande, três alas de antigas senzalas, armazém e capela. A prefeitura está restaurando as senzalas (uma ala composta por 10 casas já foi entregues aos moradores).
Situada em uma pequena elevação, junto à extensa planície; é cercada por um muro que, originalmente delimitava o jardim, do qual só resta a ala de palmeiras imperiais. Possui elementos característicos do estilo neoclássico, composto de pavimento térreo e sobrado menor no corpo central.
O conjunto da senzala é alongado com planta baixa em formato de “ï” e de “l” e ainda são residências. A casa grande atualmente encontra-se em ruínas.
COMO CHEGAR: Tomar a RJ-196, para a BR-101, e virar à direita na QSM-007. Neste trevo encontra-se a Oficina do Artesanato de Coco. Seguir até o final desta rodovia, onde encontra-se Machadinha.
Coordenadas: S22º 01.962’ W41º 27.120’
Localização: Acesso pela Rodovia QSM-010 Época de construção: 1867 
Estado de conservação/grau de preservação: Ruínas 
Uso original/atual : Moradia / Desocupada 
Categoria: Arquitetura Rural Proteção existente / proposta: Tombamento definitivo pelo INEPAC em 08.02.1979.
Propriedade: Prefeitura Municipal de Quissamã

Fonte:

















Links:










Casa da Fazenda Mandiqüera

A Casa da Fazenda Mandiqüera um imponente solar cuja construção exemplifica o apogeu da produção de açúcar na região Norte Fluminense. Localiza-se no município de Quissamã, no norte do estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Foi erguida em 1875 por Bento Carneiro da Silva, 1º Barão, Visconde e Conde de Araruama, filho de José Carneiro da Silva, 1º Barão e Visconde de Araruama.
O conjunto destaca-se pelo seu imponente solar em estilo neoclássico com treze quartos. Serve como exemplo da riqueza do açúcar no norte-fluminense, e do poderio dos latifundiários que deram suporte econômico e político ao Império no Brasil. Foi considerada uma obra monumental para os padrões da época. A sua construção foi visitada pessoalmente pelo imperador D. Pedro II, que também ali se hospedou.
Está fechada e sem habitantes desde 1936. Atualmente encontra-se em processo de ruína com fissuras nas paredes e no telhado.
Há um processo de tombamento pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC) da Secretaria Estadual de Cultura. A Prefeitura Municipal de Quissamã considera a possibilidade de desapropriação da fazenda,está querendo roubar a casa, à semelhança do que foi feito com outras importantes fazendas históricas na região: a Fazenda Machadinha (onde ainda existem senzalas) e a Casa da Fazenda Quissamã. Existem projetos de requalificação desse espaço como hotel-escola, como fazenda histórica, ou mesmo como hotel histórico, à semelhança do projeto Fazendas de Portugal.
Tem sido utilizada como locação do filmes, como o recente O Coronel e o Lobisomem.
Endereço: Rodovia QSM 006 - do centro de Quissamã, seguir pela RJ-196, e entrar à esquerda na QSM 006.
Coordenadas: 22°07.099'S 41° 30.989'O
http://pt.wikipedia.org/wiki/Casa_da_Fazenda_Mandiq%C3%BCera


Fonte: http://www.panoramio.com/photo/12345957








Links de exploradores que viajaram pela região de Quissamã:

http://www.panoramio.com/user/425009?comment_page=1&photo_page=54

http://www.panoramio.com/user/425009?comment_page=1&photo_page=47

http://www.panoramio.com/user/1034442?with_photo_id=8589726

37 comentários:

  1. Ah, Gastão, esse lugar é lindo mesmo. Que bom q gostaste da postagem.

    ResponderExcluir
  2. Impressionante!

    Estes lugares estão realmente esquecidos. Me fizeram lembrar de pelo menos um hotspot rural em Pernambuco que visualizei durante uma viagem fazem alguns anos.

    O difícil acesso faz com que as ruínas durem mais tempo, afinal, a incidência de roubos de material de construção é menor.

    Gostei muito do post.

    ResponderExcluir
  3. Raquel, que lugar hipnótico e nostálgico, queria passar um dia inteiro nessas fazendas.

    ResponderExcluir
  4. eu me criei em uma fazenda centenaria, hoje restalrada serve de turismo rural, aqui no interior de santa catarina..
    poxa renato ja virei noites olhando sua fotos e lendo seus relatos....
    mto 10 valeu!

    ResponderExcluir
  5. Juara, você não imagina o quanto eu fico feliz, quando alguém me diz que ficou horas no blog. Isso é sinal que está valendo a pena fazê-lo. Eu me divirto muito fazendo-o e escrevendo/conhecendo sobre todos esses lugares. Valeu , mais uma vez e, continue seguindo o blog, por que vem muita novidade por ai. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. Realmente muito bom, cara.

    O conteúdo do Blog está excelente. Quem curte exploração urbana acaba ficando horas e horas lendo os posts. Impossível sair sem comentar.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. tenho verdadeira atraçao por ruinas..
    esse lugar com certeza era mto lindo!
    vestigios q foi casa de moradores de rua..(beatriz, cris e valdenice...)
    sempre passando para ver as novidades.
    bju
    SALAMALEICO!!!

    ResponderExcluir
  8. tem uma foto ali q deixaram ate, uma mamadeira (chuquinha)..rsrs

    ResponderExcluir
  9. Olá. Gostaria muitíssimo de adquirir, principalmente por doação de herdeiros dos antigos donos que estejam desinteressados na restauração, prédios e fazendas históricas para que eu pleiteie junto aos órgãos e instituições a sua restauração. É uma pena que esses magnificos prédios, que contam parte de nossa História, estejam definhando. A arquitetura de época é bem mais charmosa e com personalidade do que a moderna.
    Se alguém aqui conhece familiares ou herdeiros de fazendas e prédios, ou qualquer patrimônio antigo cujas familas estejam desinteressadas ou por qualquer outro motivo não queiram restaurar e queiram doar, me avisem.
    Terei o maior prazer em tomar de conta e promover encontros no local que visem valorizar a nossa História.
    meu email: luciosatiro@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá Lucio.

    Muito nobre o seu interesse. Gostaria de debater como seria possível obter os recursos públicos necessários a restauração e manutenção das áreas. Isso faz o trabalho da comunidade Urbex valer a pena. Tenho inclusive idéias de uso para locais que eu explorei bem como sei como encontrar os herdeiros e proprietários.

    Tenho bastante interesse em participar.

    ResponderExcluir
  11. Achei muito interessante essa matéria. Minha família é de Quissamã e já visitei esses lugares. São realmente extraordinários! Tenho algumas fotos pessoais que mostram também as fazendas, se houver o interesse é só me contactar!
    Um fato interessante que acho legal dividir com vocês é que quando eu era pequena, na Dec de 90, visitei a fazenda Mandiquera com meu avô e alguns familiares. Meu avô acompanhou o desenvolvimento e progresso de Quissamã e tem muitas histórias para contar. Bem, enfim, lembro que tivemos a oportunidade impar de entrar na casa da Fazenda Mandiquera e visitamos os aposentos, todos intactos com seus móveis e arrumação originais. Observamos os quartos muito luxuosos, a sala de jantar... Tudo muito incrível! Hoje acredito que está fechada para a realização das obras, mas quem tiver a oportunidade de visitar esses lugares é uma ótima dica!

    ResponderExcluir
  12. Renata, te imploro! me manda o material que vc tem e escreva suas impressões das visitas num texto, do tamanho que você quiser. Eu postarei no blog. Imensamente obrigado, nunca imaginaria que as casas estão intactas por dentro.
    meu e-mail: renatopantoja0@gmail.com
    Valeu a visita e volte sempre!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Urban,a Renata falou que visitou a casa na década de 90 com seu avô e familiares, e que "naquela época" a casa ainda estava intacta por dentro e com todos os seus móveis originais. Imagino que as fotos devem ser maravilhosas. Também teria interesse em receber como doação um desses lugares. Sou veterinária e meu sonho sempre foi poder morar num lugar desses (não tão esplêndido como esta fazenda)e restaurá-lo e transformá-lo em um santuário para todo e qualquer tipo de animal que for encontrado em situação de abandono. Já imaginou que maravilha, os bichos inocentes correndo livres e felizes num espaço destes? Ainda bem que sonhar é de graça. Mas quem sabe alguém me ouve...

      Excluir
  13. Às vezes parece inacreditável que as autoridades deixem relíquias históricas como estas virarem pó!!
    Magníficas construções!

    ResponderExcluir
  14. Pena mesmo que sequer temos outras fotos do local. basicamente, se procurar na NET, são as mesmas... Até do ponto de vista "cultural" o local está abandonado, quanto mais pensar em uma ação prática de manter e/ou restaurar o que ainda está de pé para, suponha-se, transformar o sítio em ponto turístico de destaque.

    ResponderExcluir
  15. Estive em Quissamã!! Que lugar maravilhoso, pois guarda a História pura de nosso país. Fui à Fazenda Machadinha e à Fazenda Quissamã. Momentos únicos!!

    ResponderExcluir
  16. Imaginem só que essas árvores na entrada na Ultima Fazenda foram plantadas, provavelmente muito pequenas, e hoje podemos ver essa imensidão de árvore. INCRÍVEL!!!

    ResponderExcluir
  17. Procuro pela história de minha família em quissamã, uma faznda de laranjais, sabe algo a respeito? o nome da família é souza.
    Cristiane Freitas : crismqv@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu avo o apelido dele era Benedito laranjeira o nome dele e Benedito Pereira de Souza.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  18. Parabens pelo blog, muito bom.

    ResponderExcluir
  19. Uau, fabuloso.
    Pudiam por fotos dentro da casa :s

    ResponderExcluir
  20. Olá Cristina, eu também sou de Quissamã, sou da familia dos Pereira. Eu aconselho você a procurar pelo o homem mais velho de Quissamã, chamado João José, esse senhor conhece as história desta cidade, ele mora no bairro de Piteira. Abraço!

    ResponderExcluir
  21. É UMA PENA QUE A PREFEITURA OU SEJA LÁ QUEM FOR O RESPONSÁVEL PELA MEMÓRIA DO NOSSO PAÍS PERMITA QUE ESSAS BELÍSSIMAS FAZENDAS QUE UM DIA MOVERAM A ECONOMIA DO BRASIL SE DESTRUAM. SERÁ QUE AS PESSOAS NÃO PERCEBEM QUE ESSES LUGARES DEVERIAM SER TRANSFORMADOS EM MUSEU, CENTRO CULTURAL,É UMA AULA COMPLETA DE HISTÓRIA. FICO TRISTE EM VER ESTAS FOTOS, POIS É LASTIMÁVEL A FALTA DE AMOR E CUIDADO QUE OS GOVERNANTES TÊM COM O NOSSO PATRIMÔNIO. PARA QUEM NÃO SABE NA INGLATERRA AS CASAS MAIS ANTIGAS SÃO AS QUE POSSUEM MAIOR VALOR NO MERCADO IMOBILIÁRIO. ISSO É UMA VERGONHA!

    ResponderExcluir
  22. Boa noite!
    Adorei o site. Não o conhecia.
    Gostaria muito de saber se há um bom Guia Turístico na cidade de Quissamã-RJ para nos levar para conhecer esses Prédios Históricos e contar suas histórias.
    Desde já, muito obrigado.
    David Erman
    szachno@hotmail.com

    ResponderExcluir
  23. que isso que lugar e esse quero ir nele como faço tenho que te alguma autorização? e fantástico

    ResponderExcluir
  24. ´









    É triste constatar que os prefeitos não possuam o mínimo conhecimento histórico de seus municípios e, muito menos a cultura da preservação.Imagino que essas construções tenham sido muito bonitas. Com a sua história fatores econômicos, sociais ,antropológicos e arquitetônicos vão se perder,por falta de visão dos administradores municipais.Que pena,pois quem perde é o brasileiro.

    ResponderExcluir
  25. Se eu fosse podre de rico comprava a Fazenda Mandiqüera, o lugar é lindo demais nossa!!! Melhor ser de um particular com ideias boas quanto ao uso do que para o governo que não sabem de nada e ainda corre o risco de se perder esta nobre Fazenda.

    ResponderExcluir
  26. É triste ver essa situação... Sou amante de casarões históricos!!! Quanto ao dono do Blog, sinceramente... quanta qualidade hein!Isso sim vale a pena passar horas, dias, meses lendo... Está de Parabéns!!!! ;)

    ResponderExcluir
  27. Sou Suzete minha mãe conta que o avô dela era fazendeiro em Quissamã e se chamava Paulo Pereira de Souza o Pai dela era Alvaro Perreia de Souza gostaria muito de conhecer a história da família por favor se tem alguém que conhece entre em contato por favor obrigado tel 21 999013830

    ResponderExcluir
  28. Contínuo procurando minha família em Quissama,por Manoel Dyonisio de Souza e Maria Amada da Conceição Silva como Referência.

    ResponderExcluir
  29. Contínuo procurando minha família em Quissama,por Manoel Dyonisio de Souza e Maria Amada da Conceição Silva como Referência.

    ResponderExcluir
  30. Muito legal. Quero muito viajar e visitar Quissama para conhecer essas estruturas que tantas histórias viveram. amei o blog.

    ResponderExcluir
  31. Interessante site que encontrei ao procurar informações sobre Santa Fé de Macabu, hoje Conde de Araruama. Por exemplo, data de fundação e a posterior influencia das ferrovias que a atravessaram. Alguem poderia me ajudar? Obrigado

    ResponderExcluir
  32. Adorei esta informacao. Meu bisavo Amaro do Patrocinio nasceu e se criou nesta area e trabalhou tambem . Quando eu era crianca ele me contou varias historias. Faleceu aos 104 anos e eu era apenas uma menina de 8 anos. Vendo as fotos da regiao e as casas , era assim mesmo como ele dizia. Obrigada , por esta linda informacao e boas memorias .

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS