quarta-feira, 2 de março de 2011

Ruínas da extinta Telebrás – Aldeia/PE


LTW é um grande amigo e colaborador do Lugares Esquecidos.

Por LTW - Recife- PE

"A Telebrás foi uma empresa brasileira de telecomunicações criada pela lei 5792 em 1972 pelo governo militar. A empresa foi administrada até 1985 pelo comandante Euclides Quandt de Oliveira e pelo general José Antônio de Alencastro e Silva.
Neste período, foi quadriplicado o número de telefones fixos, foi consolidada a Embratel, o Brasil foi integrado por grandes troncos de microondas e ligado ao mundo via cabos submarinos e via satélite, entre tantas outras realizações.
Contudo, com a redemocratização do país, a Telebrás passou a ser administrada pouco a pouco por afilhados políticos com menor qualificação, comprometendo a qualidade do serviço e mergulhando a empresa em um período de retrocesso em que esperava-se anos para instalação de uma linha telefônica (algumas pessoas morreram esperando a instalação).
A Telebrás foi privatizada em 1998 e a região nordeste foi arrematada pela Telemar que passou a se chamar Telemar Norte Leste. É claro que em um processo como esse, o interessado acaba ganhando uns brindes que em nada lhe interessam.
Hoje a OI TNL mantém uma pequena segurança privada com o objetivo de cuidar das antigas instalações da Telebrás de Pernambuco.

Prólogo:
A minha história com as ruínas da antiga Telebrás teve início em 2007 quando eu, então estagiário de uma empresa que enfrentava uma grande crise de solvência, larguei a máquina de Xerox e saí com minha motocicleta para visitar clientes e fechar contratos, mesmo sabendo que não ganharia nada com isso e sequer seria reembolsado do combustível.
Assim, tive dois clientes situados na zona da mata, sendo um na cidade de São Lourenço e outro no conhecido bairro de Aldeia na cidade de Camaragibe em Pernambuco. Uma solitária estrada liga as duas localidades e justamente nela, observei as ruínas de uma estrutura enorme com piscina e tudo mais. Imaginei se tratar de um clube abandonado. De qualquer forma, foi amor a primeira vista.
Contudo, nem mesmo eu pude entender tal fascínio pelo local. Eu já tinha comigo o espírito de um explorador urbano e não sabia. Queria muito voltar, mas por qual motivo? Que loucura seria essa?
Neste momento invejei as crianças, que não precisam de motivos para fazer o que querem. Apenas fazem.
Na época nem sabia que existiam pessoas que visitavam locais esquecidos para contar suas histórias e principalmente, pessoas interessadas em ouvi-las. Assim, esqueci do fato até 2009 quando voltei ao local e percebi que havia um carro na parte de dentro do complexo.
Gritei e chamei a atenção de um guarda que surgiu na janela informando se tratar da antiga Telebrás que fora vendida a Telemar que hoje se chama Oi TNL. Ele informou ainda que só permitiria a entrada com aval da empresa.
Agradeci, fui embora e o tempo passou...
Muitos que leram o início deste artigo poderão ter pensado: “Nossa, que estagiário burro. Trabalha de graça”. De fato, gastei combustível, arrisquei minha vida, não ganhei nada e a empresa faliu do mesmo jeito. Porém fui trabalhar em outras empresas mantendo sempre a mesma postura profissional e cheguei a gerente antes mesmo de me formar na faculdade.
Então, certo dia no ano de 2010, estou voltando do trabalho quando escuto no rádio as notícias sobre um enorme incêndio florestal que assolava a Rússia e que este incêndio já estava alcançando as florestas contaminadas de Chernobyl, gerando grande preocupação.
Algumas pessoas querem ir a París, outras a Nova York, eu quero ir a Chernobyl.
Comecei a pesquisar sobre a cidade e o acidente nuclear por curiosidade mesmo. Acabei descobrindo outras cidades fantasmas e inevitavelmente cheguei até o Urbex. Soube que outras pessoas eram como eu e tinham como hobby, explorar lugares esquecidos contando suas histórias e aventuras. Me identifiquei completamente.
E aqui estava eu. Um homem com uma boa vida, uma boa família, um bom emprego, todo um futuro pela frente, mas sem qualquer emoção. Eu precisava fazer algo antes que morresse de tédio.
E o Urbex veio em boa hora. Lembrei logo da Telebrás para a qual me preparei mentalmente e tecnologicamente, fazendo inclusive, outras explorações.
Só tinha um problema. A Oi TNL nunca me autorizaria a entrada e os guardas estão lá vigiando. Não vi outra alternativa a não ser me infiltrar.



Exploração às ruínas da Telebrás – Aldeia/PE



Visita Preliminar.

Sempre antes de realizar explorações difíceis, faço visitas preliminares ao local com o objetivo de fotografar a fachada, marcar pontos de GPS, descobrir onde os guardas ficam guarnecidos e principalmente, por onde vou me infiltrar sem ser visto. No caso da Telebrás foi fácil, afinal, a cerca de proteção está derrubada em vários pontos, sendo que um específico fica totalmente fora do campo de visão dos mesmos. O mato alto oferece boa cobertura, fiquei super feliz e quase entro no local, porém, estava sem o equipamento necessário. Deixei para outro dia.






A primeira visita.

A primeira visita a Telebrás acabou ocorrendo no dia errado. Na verdade fui visitar outro lugar mas meus planos de infiltração acabaram sendo frustrados por conta de uma chuva que começou a cair. Como já estava na rua todo equipado as 06:00 da manhã de domingo, acabei indo para a Telebrás, mas fui com o equipamento errado, afinal, a Telebrás e muito grande e sequer levei uma garrafa de água. Mesmo correndo o risco de desidratar eu fui.
Sequer havia feito uma pesquisa histórica, logo não sabia muito bem o que iria encontrar. Durante a visita, cheguei a um local com vários quartos com duas camas cada. Imaginei que tipo de empresa seria esta, mas logo me veio a hipótese de que a Telebrás foi criada durante a ditadura militar e este local era administrado por militares e tinha soldados como funcionários. Boa parte deles morava lá mesmo.

Com base nesta informação, não estava mais visitando as ruínas de uma simples empresa, mas sim, uma instalação militar de altíssimo nível. Assim, vou relatar a infiltração e explicar como o local deveria funcionar.

Área de lazer:


Entrei pelo ponto mais distante dos guardas, que é a área de lazer. Também foi um enorme risco entrar por este local tendo em vista que a facilidade de acesso implica prováveis encontros com elementos pouco auspiciosos.
Contudo, apenas animais ocupavam o local.

Nesta área registrei um salão de festas a beira da piscina com banheiros, copa e fraldário. Logo mais a frente está uma casa que não parece ter sido erguida como parte do projeto original. Provavelmente foi construída depois para abrigar o comandante das instalações, ou servia de grêmio, abrigando instrumentos de lazer como jogos, vídeo cassete e outros. Não sei ao certo porque decidi por não explorar esta casa.
O local é cortado por várias ruas sendo que o caminho mais a frente, sem saída, leva até a torre onde ficavam instaladas as antenas e equipamentos de transmissão de dados.

Em resumo, a área de lazer possuía uma piscina de 25 metros com raias, uma piscina menor para crianças, quadras de futebol, vôlei e basquete. Ao andar pelas ruas, percebi marcas de pneus de motocicletas. Imaginei logo que seriam dos guardas, afinal, em uma área tão grande, eles não fariam rondas a pé.











Fotos da torre das antenas





Áreas de convivência:


Beirando o açude ficavam o rancho e os alojamentos.


Rancho:
Aqui eram estocadas e preparadas diariamente, refeições para mais de 100 pessoas. Reparem todas as paredes laváveis, o freezer que teve seu revestimento térmico arrancado, bem como o refeitório. As grandes vidraças possuíam revestimento fumê para ajudar a manter o ambiente climatizado.























Alojamentos:

    A área de alojamentos podia abrigar cerca de 100 pessoas. Cada quarto possuia duas camas, guarda-roupas embutido e banheiro. Uma enorme janela de vidro tomava a parede do teto até o chão dando um look muito legal. Alguns quartos possuem vista para o açude. O local conta também com copa e área de convivência onde deveria haver jogos de sinuca, totó e aparelhos de TV com vídeo cassete. O chão deveria ser encerado o tempo todo e vivia sempre brilhando impecavelmente.

Claro que hoje a realidade é outra. Foi o primeiro local mais sinistro que eu visitei, tendo em vista os corredores escuros, sem falar que antes de entrar tive a impressão de ver um vulto andando no andar de cima, mas ao investigar percebi que foi apenas impressão. O chão ressecado é quebradiço e faz muito barulho quando é pisado. Se houvesse alguém lá, eu teria escutado.
Enfrentar os corredores dos alojamentos é a melhor forma de passar da área de lazer para a área de trabalho sem percorrer a rua ao lado do açude onde o risco de ser visto pelos guardas é muito maior.



























Visitei outros edifícios neste mesmo dia, porém, sem mapas ou pontos de GPS, não sabia muito bem onde estava. Em determinado momento escutei o som de motocicletas circulando e pessoas falando em alto tom. Quando olhei no GPS, percebi que estava próximo ao ponto de vigilância, único local gravado no meu mapa. Imaginei logo que fui visto e que estavam me caçando.

A vantagem das motos é que percorriam todo o local rapidamente, mas a grande desvantagem para eles é que fazia um baita barulho, assim, eu poderia saber mais ou menos onde eles estavam, me escondendo nas ruínas e mantendo distância das ruas asfaltadas.
Continuei a exploração, mas desisti quando voltou a chover. A esta altura a minha câmera já tinha tomado mais água do que eu, que já estava desidratado. Sem falar que já havia registrado o suficiente por um dia. Voltei pelo mesmo caminho e desapareci sem saber o que de fato os guardas procuravam."

Continua...

LTW

50 comentários:

  1. Cara, que torre louca! pena que não rolou de subir. A entrada dela, no mato, parece a entrada de um lugar que tinha no "Elo perdido". Muito demaais!!

    ResponderExcluir
  2. Impresionante..!!! Admiro tua coragem.... Eu não conseguiria, Parabens pelo post..!!

    ResponderExcluir
  3. O clima é totalmente fantasmagórico... o ambiente parece querer te devorar o tempo inteiro e as cenas parecidas só são vistas em filmes de terror.

    O medo existe em todas as explorações, mas controlando-o, conseguimos enfrentar tudo isso... e cara, loucura ou não, vale muito a pena.

    LTW

    ResponderExcluir
  4. Em lembrar que já passei férias maravilhosas nesse local, ver essa situação só me faz lembrar do grande FHC, obrigado por vender o Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, sinto algo parecido. Momentos importantes de minha vida aconteceram ali no CRTr, onde fui estagiário.

      Excluir
    2. Eu sou o cacique Tiato Xei, seu primo...lembra de mim?

      Excluir
    3. Olá
      Meu nome é Ladislau, também fui estagiário no CRTr Telebrá Aldeia, em 1982!!
      Outro dia passei por lá e fiquei muito triste, sai chorando, pois comecei a minha vida profissional naquele lugar, aprendi muita coisa e conheci Técnicos de todo o Brasil.
      Quanto dinheiro nosso jogado fora !! Tomara que aproveitem o local para algo útil.

      Excluir
  5. Tão interessante quanto as fotos, são os relatos detalhados sobre os lugares... muito bom o trabalho... fiquei com vontade de ir lá também... hehehe

    ResponderExcluir
  6. Amigo fico surpreso com seu trabalho, morei a 100 metros da antiga Telebrás e na época este local era uma coisa linda, é uma pena ver abandonado desta forma. Meu pai trabalhava na Telpe e eu tinha acesso livre e frequentava diariamente as instalações deste local é revoltante ver um patrimônio tão bonito abandonado, isso só acontece no Brasil.
    Para seu conhecimento a mais de 2 anos não tem mais nem se quer vigilante, no ano de 1998 na época da privatização a Igreja Universal queria compras por 7 milhões de reais e a Telemar só queria vender por 11 milhões e agora não vale 2 milhões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena mesmo. E quem fez essa exploração foi um amigo e colaborador do blog o LTW. Ele é meu correspondente em Recife, hehehe. Fizemos juntos uma exploração no Engenho Monjope. Está postada aqui no blog, ficou show!
      Obrigado, amigo. Continue lendo o blog.

      Excluir
  7. Eu que fiz muitos cursos de aperfeiçoamento ai, agora vendo aquele hotel 5 estrela, transformado naquelas ruinas de filmes de Indiana Jones, vem toda uma lembrança, mas logo apos sua inalguração este complexo ficou conhecido como ELEFANTE BRANCO, um apelido que pegou e só se chamava-o por esse nome.

    ResponderExcluir
  8. É com tristeza que vejo esse excelente trabalho investigativo. Quero registrar que esse sentimento aqui expresso, em momento algum tem o intuito de desvalorizar a iniciativa do trabalho, muito pelo contrário. A expressão refere-se ao estado em que se encontra o local. Como trabalhadora que fui da Embratel por mais de 24 anos, obviamente como tantos outros colegas de época, usufruí deste espaço cujo objetivo, altamente louvável, destinava-se à formação e desenvolvimento dos recursos humanos das empresas do sistema Telebrás. Justiça seja feita, essas iniciativas eram executadas por profissionais considerados de elite em cada área do saber. Infelizmente, não se dá continuidade ou uso às iniciativas que envolvem a aprendizagem.Com tanta falta de recursos para a educação, porque não aproveitar essas estruturas maravilhosas para desenvolver outras atividades nessa mesma linha? Justifico a minha sugestão porque o ambiente bucólico, era totalmente favorável ao necessário "desligamento" que se impunha a quem desejava aprender. Obviamente, a infraestrutura de lazer era disponibilizada não só para reduzir o estresse causado pelo afastamento da vida familiar e profissional imposto pelo número de horas dos treinamentos. Não se pode negar a preocupação que havia com a rentabilização das instalações, dado que era permitido que os empregados e familiares usufruissem das instalações através da hospedagem, por taxas bem abaixo do mercado, obviamente mantendo-se a prioridade de ocupação aos participantes dos cursos, visto que era essa a finalidade primeira do centro de treinamento. Pelo que aqui expus, espero ter justificado a primeira impressão, que agora se transforma em saudade e porque não dizer, uma certa vaidade ou orgulho, dizendo melhor, de ter tido a oportunidade de aprender com tão bons profissionais em tão excelentes estruturas.Parabéns pela iniciativa e trabalho, para o qual desejo imenso sucesso. Porém espero que não encontre "elefantes brancos" (o que o centro não era, porém tornaram-no) porque será sinal de que o Brasil ainda tem muitos passos a dar até fazer por merecer o tão decantado título de 8ª (???) economia do mundo.
    Solange Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Solange,
      Eu olho para este excelente trabalho do Urban Explorer e vejo o quanto foi danoso para o desenvolvimento da mão de obra especializada no Brasil, o governo que privatizou o patrimônio Público, fechou faculdades, escolas e até hospitais. Pois bem, o FHC, que sabemos ser ele um funcionário público de carreira na área do ensino, como sociólogo e professor universitário, tinha obrigação de incentivar a expansão do saber. Fez tudo ao contrário. Coube a um operário simples e nem tanto letrado, construir Faculdades, Escolas, Hospitais, Estradas e incontáveis obras que deram ao Brasil o destaque e prestígio internacional que lhe é conferido. Esta bela reportagem não fala de "Eleante Branco" nem de Hotel com Estrelas e sim, de "Centro Tecnológico de Ensino". Um importante Centro de Ensino em uma região região do Pais muito carente de profissionais bem qualificados e preparados para as novas oportunidades. Em um Pais com povo mais consciente, faria rejeição aos produtos de Empresa com tamanho descaso pelo bem público. Talvez um bom Advogado enquadrasse isso como crime contra o patrimônio público, pois todo aquele empreendimento foi construído com recursos públicos da União e o FNT (Fundo Nacional para Telecomunicações), 30% do valor das ligações telefônicas que as pessoas faziam, era destinado a um fundo para desenvolver os serviços de telefonia no pais. Assim, o governo errou quando vendeu e ficou com os 22 bilhões da Telebrás. Pois tudo pertencia aos usuários do sistema que participaram com dinheiro vivo na Telebás.

      Excluir
    2. Solange, Brasília é tão mais nova que Recife e já possui seus Elefantes Brancos, infelizmente. Obrigado por ler o blog. Grande abraço.

      Excluir
  9. Newton Barretto Lins17 de fevereiro de 2012 08:36

    Fiz muitos cursos neste local. Tenho fotos da época de sua efervescência, recebendo pessoal de todo o Brasil para capacitações em comutação, redes telefônicas, transmissão, telefonia celular...
    Ali conheci pessoas fantásticas, excelentes técnicos e gente com as quais até hoje mantenho contato proveitoso.
    Fiz alguns cotejamentos de fotos de locais como o refeitório, o hotel, áreas de ensino, auditório, área de lazer e na lagoa em frente ao hotel onde duas emas circulavam... deu saudade e, ao mesmo tempo, indignação com o tratamento dado à coisa pública, numa privatização escandalosamente ofensiva ao povo brasileiro.
    Este era o CRTr (Centro de Treinamento Regional da Telebrás). Em Brasília havia um com arquitetura idêntica, o CNTr (Centro Nacional de Treinamento da Telebrás). Como estará as instalações de Brasília? Fiquei curioso. Deve ter sido mais bem aproveitado pois ficava em área nobre, na L4 Sul próximo às margens do Paranoá (de lá se avistava o Palácio do Planalto e a enorme Bandeira Nacional tremulando no Congresso. Estes símbolos nacionais testemunharam a Privataria que sofremos.
    Mas, deixo um alerta: nós temos que estar mais mobilizados e alertas porque não adianta ficar chorando e esperando que "os outros" se manifestem. Nós fazemos esta Nação e Ela (e nós outros, por conseguinte) contiua sendo vilipendiada.
    Newton Barretto Lins Ex técnico da TELPE (PE) e da TELERN (RN)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, caro amigo Newton, não podemos ficar parados vendo isso.
      Apesar do blog não ter como intenção principal o abandono dos bens públicos, o tema vem à tona sempre nos coments. Eu acho muito que isso é muito válido e extremamente natural, pois a indignação vem no pacote. As postagens de Recife fazem muito sucesso no blog. Obrigado ao amigo LTW, que faz as explorações por lá e virou URBEX por causa do Lugares Esquecidos. Obrigado vocês também, que lêem e acompanham o blog.

      Excluir
    2. Newton Barretto Lins, o CNTr de Brasília foi "dado" de brinde para a Tele Centro Sul, que virou a Brasil Telecom na privataria e cisão das teles, que o vendeu para os correios. Agora lá funciona a universidade dos correios.

      Excluir
    3. Prezado Newton,
      Como faço para conseguir documentos de treinamento da TELEBRAS (apostilas) especialmente na Área de Transmissão e Dados?

      Excluir
  10. Trabalhei na EMBRATEL estatal de 1979 a 2003. Frequentei esse centro de treinamento várias vezes. No lago, havia até cisnes, os apartamentos. cujos acabamentos eram rústicos, mas, de primeiríssima qualidade, lembravam cabines de navios. Sem falar nos salões de jogos, auditórios...etc etc etc..tudo muito bem cuidado, que os governos da "redemocratização" não quiseram dar continuidade, claro, isso geraria "custos"...
    Foi pra isso que a democracia "voltou" ao País? Acabar com a educação, a saúde pública, segurança e aumentar os casos de corrupção?
    Desde a década de 1990 os "democratas" estão no poder e só fazem as coisas piorarem a cada dia. São um bando de incompetentes, demagogos, hipócritas...não estão nem um pouco preocupados com o povo (a não ser o bolso do povo deles).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lamentavel ver o estado de um patrimonio que foi construido pelo poder publico e agora detonado de forma irresponsavel. Mas por outro não é de se espantar, pois quem arrematou em leilão é bem conhecido no meio politico e mantinha e mantem excelentes laços de amizade com os autores da privatização da TB. Claro que não a devida manutenção e deixe abandonado, pois este patrimonio não teve custo nenhum ao arrematante, muito pelo contrario foi um brinde e essas pessoas jamais tiveram ou tem interesse em treinar seus empregados, com certeza não investirão no antigo CRTr. Vale registrar um fato importante, como foi feita a compra pela TELEMAR; simplesmente com o proprio dinheiro do Governo Federal (BNDES) e pergunto foi pago???? Como diz o ditado tudo o que é graça não se dá valor e quando se tem politicos dessa laia no meio eles tiram proveito ao maximo do que tem valor e o restante descarta, ou seja, devolve ao governo que é a garantia do emprestimo......

      Excluir
  11. Um adendo: a partir de 1998 a EMBRATEL foi privatizada, assim como todo o sistema TELEBRÁS.
    O valor da venda, foi uma piada...A empresa era (ainda é) tão rentável, que já foi vendida 3 vezes, sendo agora da Procisa, de um bilionário mexicano. Será que se fosse uma Sudene (cabide de empregos políticos) da vida, alguém iria comprar?
    ha ha ha...!!!

    ResponderExcluir
  12. Olá Pessoal,

    Retorno após meses afastado, resolvendo problemas profissionais. Fico muito feliz em ler todas as mensagens que foram postadas, principalmente quando as mesmas trazem mais informações sobre o local explorado. De fato, não tinha idéia do uso destas instalações e sequer sabia ser um centro de treinamento com hotel 5 estrelas e tudo mais. Na verdade identifiquei cada edifício por sua forma e enquanto caminhava por seus corredores, por diversas vezes, tive flashes do que teria acontecido no passado. Isso me ajudou muito a escrever a matéria.

    Na época fiz uma segunda visita para fotografar os locais que faltaram, e estas fotos ainda não foram publicadas. Tenho apenas um video no Youtube: Pesquisar "LTW Urbex".

    De fato, as instalações valem muito pouco hoje. E quem vê de perto, percebe que vai ser mais caro restaurar do que demolir e construir novamente.

    É uma pena!

    LTW

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido amigo, seja muito bem vindo. Viu só quanta gente comentando sobre suas explorações. Sucesso total!
      Sei que estás com bala na agulha e o blog tá aqui curiosíssimo por causa da tua última exploração, que de antemão afirmo aos leitores, que é muito interessante.
      Que bom tê-lo de volta por aqui.
      Grande abraço.

      Excluir
    2. Fala grande!

      De fato estou com as fotos e os vídeos da visita a casa de Branca Dias. A exploração mais molhada que já fiz. Depois dela comprei até alguns sacos estanque para encarar os ambientes aquáticos da vida.

      Mas é isso aí... estou voltando. Vou ver se dedico o próximo fim-de-semana a conclusão de edição de explorações passadas...

      LTW

      Excluir
  13. É lamentavel ver o estado de um patrimonio que foi construido pelo poder publico e agora detonado de forma irresponsavel. Mas por outro não é de se espantar, pois quem arrematou em leilão é bem conhecido no meio politico e mantinha e mantem excelentes laços de amizade com os autores da privatização da TB. Claro que não a devida manutenção e deixe abandonado, pois este patrimonio não teve custo nenhum ao arrematante, muito pelo contrario foi um brinde e essas pessoas jamais tiveram ou tem interesse em treinar seus empregados, com certeza não investirão no antigo CRTr. Vale registrar um fato importante, como foi feita a compra pela TELEMAR; simplesmente com o proprio dinheiro do Governo Federal (BNDES) e pergunto foi pago???? Como diz o ditado tudo o que é graça não se dá valor e quando se tem politicos dessa laia no meio eles tiram proveito ao maximo do que tem valor e o restante descarta, ou seja, devolve ao governo que é a garantia do emprestimo......

    ResponderExcluir
  14. paulo gonçalves de melo7 de março de 2012 21:33

    Nossa!! Meu coração tá apertado. chorando.. Não tenho palavras! Trabalhei aí os melhores anos da minha vida. Depois de ver isso, minha vida também começou a acabar!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, tô emocionado com o teu depoimento. Sei que esse lugar traz muitas lembranças às pessoas que trabalharam lá. Uma pena.
      Grande abraço, Renato.

      Excluir
  15. Como todos nós concordamos, a Telebras de Aldeia/PE era realmente maravilhosa, e tivemos grandes momentos lá! por isso queria que refrescássemos nossa memória, de como ela era. mas preciso da ajuda de vocês! por isso criei essa pagina no facebook. Compartilhem aqui fotos que lembrem da Telebras : https://www.facebook.com/pages/Telebras/395735350490173 meu Pai Trabalhou lá um bom tempo. Era um lugar que toda família ia, nas férias... vamos lá pessoal, compartilhem! É triste ver como o lugar ficou, mas é bom lembrar de como era.

    ResponderExcluir
  16. parabéns pelo trabalho rapaz,gostaria de disser que já dey e mamei muuuuiiiito nesse local, ai que loucura. kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahaha, é isso aí! o local abandonado serve prum monte de coisa. obrigado por ler o blog.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  17. Eu morei na telebrás... Tenho tantas lembranças boas, toda minha infância foi lá, pois meu pai trabalhava nas substações e morávamos lá. Era lindo mesmo e muito divertido... Fico penalizada com essa situação. Já fui muitas vezes lá e o segurança deixou nossa família entrar... Talvez se vc pedir ele te deixe entrar também.
    Obrigada por visitar e fotografar o lugar... Mesmo com toda a degradação eu ainda tenho em minha memória coisas boas.

    Natália Cavalcante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natália, esse lugar realmente foi muito querido pelos recifenses, que pena q está assim.
      Valeu por ler o blog.

      Excluir
  18. Meus pais trabalharam na Embratel e vivi boa parte da infância e adolescência na Telebrás.
    Fiquei muito triste com a situação.
    Quando eu era pequeno ficava contando as horas p chegar o sábado e reecontrar os amigos, para brincarmos nos salões q lá existiam, sinuca, totó, videoteca, futebol de mesa (futebol de botão)... torneios de futebol de campo, volei, natação e etc... e as esperadas colônias de férias.
    As imagens estão ainda vivas na minha memória.

    Ouvi falar q uma faculdade comprou o local, mas a questão é jurídica, pois alguns bens do sistema Telebrás devem voltar p a união.

    abraço

    Herodoto

    ResponderExcluir
  19. ADOROOOOOOOOO ISSO TUDO ...

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  21. Quantas saudades . Fui instrutor do Centro de Treinamento da Telesp - São Paulo-por alguns anos e algumas vezes estive neste centro de Treinamento dando cursos e aproveitando esta estrutura para lazer . Saudades e tristeza por lembrar dos bons momentos que vivi neste lugar e por ver como o patrimônio da união foi destruído por um plano de privatização que o sr. FHC conduziu em seu governo . A herança que ele nos deixou nesta área é o que nos vemos nestas fotos . Decadência dos sistemas de telefonia e destruição do patrimônio das telecomunicações construído com o nosso dinheiro . Em São Paulo também existiu uma área destinada a construção do Centro de Treinamento da região Sul e Sudeste que , eu creio , deva estar nas mesmas condições de abandono ou destinado para outras finalidades . Belo trabalho feito pelo autor das fotos . Apesar da minha tristeza dou os parabéns .

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pela matéria.
    É muito triste ver isso.
    Meu pai, Tadashi Kikumoto, Engº da TELERN, fez vários treinamentos neste centro. E me recordo com carinho da viagem ainda pequeno para visita-lo, e tinha até então a imagem de um lugar grandioso e com um belo gramado que mais parecia um campo de futebol.
    Detalhes da arquitetura não me lembro. Lembro apenas de um lugar bonito, e meu pai muito feliz por estar estudando.
    Tão triste quanto essas imagens, é presenciar os antigos funcionários da TELERN conversando sobre Centro de treinamento e do clube recreativo com seus bingos e famílias se confraternizando.
    Hoje temos que conviver com constantes quendas de ligação e centrais paradas, e há quem ache que esta privatização foi boa para o país.
    João Paulo Kikumoto

    ResponderExcluir
  23. Marlon

    marlondavis007@hotmail.com

    Eu passei boa parte da minha vida nesde local, sou filho de uma ex-colaborador da TELPE que por sinal era um dos instrutores que davam treinamento aos funcionários. Confeço que quando vi as fotos nao acreditei no que vi muito triste em saber que aquela empresa maravilhosa e toda aquela estrutura viraram ruinas, que hj em dia poderia ter virado algo para sociedade ou qualquer outra coisa hotel e por ai vai....Meu pai trabalhava na Telpe no bairro da varzea e em alguns momentos gerava alguns cursos para os funcionarios, que por sua vez tinha uma excelente estrutura com piscinas, quadras clubes, campos de futebol e etc...

    ResponderExcluir
  24. Que pena... é Brasil...

    ResponderExcluir
  25. Parabéns pela matéira!!! Sinto-me orgulhosa e privilegiada de ter trabalhado no Sistema Telebrás... e ao mesmo tempor tristeza e frustração por vê todo o nosso trabalho desrespeitado e desvalorizado através do registro dessas fotos...Participei de curso no local onde conheci pessoas de todos os estados do Brasil e fiz grandes amigos... Um album com fotografias de um lugar vivo e habitado por grande instrutores e profissionais ávidos de conhecimento e saber...que não condiz com as fotos que agora assustada eu tento reconhcer cada espaço sem acreditar no que estou vendo... cheguei em casa e recorri ao álbum para acreditar que tratava-s do mesmo local!!! Essas fotos tem que ser divulgada em campanha política, principalmente para alertar os brasileiros na hora do voto sobre os governantes e os partidos que estavam no poder e o que fizeram com o nosso patrimônio...e estão querendo voltar para continuar a privatização...retaliação... descaso com o bem público... essas fotos tem que ser divulgada na Globo, isso sim é matéria para ser vista várias vezes e não esses videos vulgares e qualquer besteirol que é repetido inúmeras vezes se agregar nada... Mas, é como diz a música... "Nós não vamos pagar nada , agora é free tá na hora é tudo free vamo embora dá lugar pro gringo entrar que sse imóvel está pra alugar"... Pegaram a TELEBRÁS E TRANSFORMARAM EM TELEMERDA...É REVOLTANTE...AGORA ESTÃO ATRÁS DA PETROBRÁS...

    ResponderExcluir
  26. Parabéns pela matéria!!! Sinto-me orgulhosa e privilegiada de ter trabalhado no Sistema Telebrás... e ao mesmo tempo tristeza e frustração por vê todo o nosso trabalho desrespeitado e desvalorizado através do registro dessas fotos...Participei de curso no local onde conheci pessoas de todos os estados do Brasil e fiz grandes amigos... Um álbum com fotografias de um lugar vivo e habitado por grande instrutores e profissionais ávidos de conhecimento e saber...que não condiz com as fotos que agora assustada eu tento reconhecer cada espaço sem acreditar no que estou vendo... cheguei em casa e recorri ao álbum para acreditar que tratava-se do mesmo local!!! Essas fotos tem que ser divulgada em campanha política, principalmente para alertar os brasileiros na hora do voto sobre os governantes e os partidos que estavam no poder e o que fizeram com o nosso patrimônio...e estão querendo voltar para continuar a privatização...retaliação... descaso com o bem público... essas fotos tem que ser divulgada na Globo, isso sim é matéria para ser vista várias vezes e não esses videos vulgares e qualquer besteirol que é repetido inúmeras vezes sem agregar nada... Mas, é como diz a música... "Nós não vamos pagar nada , agora é free tá na hora é tudo free vamos embora dá lugar pro gringo entrar que sse imóvel está pra alugar"... Pegaram a TELEBRÁS E TRANSFORMARAM EM TELEMERDA...É REVOLTANTE...AGORA ESTÃO ATRÁS DA PETROBRÁS...Corrigdo!!!

    ResponderExcluir
  27. Sinto uma enorme tristeza ao ver essa situação do CRTr da TELEBRAS. Ali recebi inúmeros treinamentos e alguns deles exigiam que ficássemos hospedadas lá. À noite,após o jantar,ficávamos conversando e trocando ideias. Na frente do restaurante havia um lindo lago com patos que costumávamos alimentar com pedacinhos de pão. Inúmeras mentes pensantes e brilhantes das comunicações por lá passaram. Ora aprendendo...ora capacitando. Muito triste!

    ResponderExcluir
  28. Sinto uma enorme tristeza ao ver essa situação do CRTr da TELEBRAS. Ali recebi inúmeros treinamentos e alguns deles exigiam que ficássemos hospedadas lá. À noite,após o jantar,ficávamos conversando e trocando ideias. Na frente do restaurante havia um lindo lago com patos que costumávamos alimentar com pedacinhos de pão. Inúmeras mentes pensantes e brilhantes das comunicações por lá passaram. Ora aprendendo...ora capacitando. Muito triste!

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Parabéns aos militares, fizeram grandes coisas para o Brasil, depois vieram os comunistas e acabaram com tudo... Fora PT,PSDB, PC DO B, PSOL e todos esses comunas do inferno...

    ResponderExcluir
  31. Parabéns aos militares, fizeram grandes coisas para o Brasil, depois vieram os comunistas e acabaram com tudo... Fora PT,PSDB, PC DO B, PSOL e todos esses comunas do inferno...

    ResponderExcluir
  32. Parabéns aos militares, fizeram grandes coisas para o Brasil, depois vieram os comunistas e acabaram com tudo... Fora PT,PSDB, PC DO B, PSOL e todos esses comunas do inferno...

    ResponderExcluir
  33. Nossa, que tristeza ver o centro de treinamento da Telebrás assim... Quantas pessoas, quantos colegas, do mundo das Telecomunicações passaram por aí. Foi um centro de excelência em todos os sentidos.. Fiz o último treinamento na Telebrás, quando o fechamento de portas já estava anunciado devido à privatização provocada pelo PSDB, pelo FHC. Conheci de perto, o Centro de treinamento na sua despedida porque antes de fazer esse curso (por coincidência um dos últimos cursos) eu só ia na Telebrás almoçar, quando íamos nas centrais de Aldeia da Telpe, na época, dar manutenção. Era uma felicidade ter serviço em Aldeia pois na hora do almoço íamos na Telebrás almoçar no restaurante e desfrutar de ambiente maravilhoso. Tive ainda a felicidade de chegar o dia de participar de curso na Telebrás, mesmo que sendo o último, e aí conheci melhor o centro, sua estrutura de ensino, de laboratório, de instalações de dormitórios para os que vinham de outras cidades. Lugar maravilhoso, de excelência. Conheci melhor no apagar das luzes e agora através desse trabalho muito bom, estou matando a minha curiosidade do atual estado e mesmo triste com a situação, parabenizo ter nos proporcionado isso.

    ResponderExcluir
  34. Meu nome é Claudia Moura, frequentei tanto como Aluna e como instrutora o CRT Telebrás de Aldeia. Chorei com as fotos que eu vi. Vivi um dos melhores momentos da minha vida profissional nesse lugar. Era um lugar para desenvolver os melhores profissionais de Telecomunicações. Tudo era perfeito. Que pena ...sem mais palavras...

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS