quinta-feira, 15 de março de 2012

Berlin e o Grafite URBEX


Postagem atualizada em 03 de janeiro de 2013.
Um site me chamou a atenção recentemente, foi o http://www.abandonedberlin.com/, e como já diz o nome trata-se de explorações em Berlin, e como na postagem há muito grafite urbex, resolvi mostrar o blog aqui. Vamos lá! Num moinho abandonado e em outros lugares, o explorador encontrou muita grafitagem, confere aí:








Link da postagem sobre o moinho abandonado e o grafite urbex:

http://www.abandonedberlin.com/2012/12/wolfswinkel-and-monsters-abandoned.html

Postagem anterior:
Já ouviu falar em Grafite URBEX? 
Grafite URBEX é uma tendência e um processo naturais e inerentes à exploração urbana. Antes do explorador urbano ir no local e registrar sua dinâmica/estética com fotos, muitos outros passantes e habitantes já frequentaram também o mesmo local. Um desses frequentadores é o grafiteiro/artista plástico (todo grafiteiro é um artista plástico). Em locais abandonados, esses artistas encontram o ambiente perfeito para exporem suas obras. Um local tranquilo  onde podem expor com muita cor e criatividade tudo que sentem. Como fizeram todos os outros ocupantes.
Sempre que explorei lugares abandonados encontrei grafitagens e pichações...
As meninas suicidas e os grafismos do Clube do Servidores:



O vagão abandonado na Rodoferroviária:







Na minha opinião, essa expressão transforma o lugar abandonado, dando-lhe um outro uso: o de plataforma física para a expressão artística da grafitagem e o de local de exposição dessas obras. O abandono e a cor combinam muito bem.
Foi navegando por essas praias que descobri o termo "grafite urbex", ou seja, grafitagem + exploração urbana. E foi pesquisando sobre isso que descobri que essa arte é muito praticada e difundida em Berlim. O grafite urbex em Berlin, além de ser uma tendência de arte, é também uma escola. Muitos artista grafiteiros aparecem a todo momento. Nomes como  Potsdam, Krampnits, BSF13, Nomad, MTO, Vhils, Tika, Mean Marek, Leimk, Nartur, Hope, Irgh, Urkel, MOMO, WB estão ficando famosos na cidade como artistas que expõem suas obras em lugares abandonados. Encontrei todos eles na galeria  do URBAN ARTefakte no link :  http://www.flickr.com/photos/steffireichert/, um potente endereço para quem curte do assunto arte urbana. 

Seriam os grafiteiros exploradores urbanos? ou o inverso? Em seguida mostrarei imagens de um projeto de dois grafiteiros de primeira também de Berlin, Attila Szamosi e Lars Wunderlich  (http://wwwpeachbeach.de/pb/), chamado "Collour in forgotten places". Eles se juntaram com amigos e, por três anos, exploraram lugares abandonados com o intuito de deixar por lá sua arte. Excelente trabalho. visitar essas grafitagens deve ser como procuram em um mapa do tesouro... de repente, no meio dos escombros, uma arte. Adorei a ideia e, por isso, fiz essa postagem bem colorida.

URBEX Grafitti


















































































Fonte:


Portfólio do Peachbeach, da dupla Attila Szamosi e lars Wunderlich:

http://www.peachbeach.de/PEACHBEACH_2012.pdf 

4 comentários:

  1. Olá,meu nome é Laissa,tenho 14 anos,e desde criança,sou apaixonada por lugares abandonados. Mas só recentemente vim a descobrir que isso se chama exploração urbana. Bom,o problema,é que moro em Contagem-MG,e aqui tem alguns lugares abandonados e tal,mas não sei como faço para entrar lá. =/ Corro o risco de ser presa se entrar? Porque por exemplo,aqui tem um antiga fábrica de biscoitos,mas fica de frente para um shopping,e não sei como faço para entrar. Como vocês fazem para entrar?
    Gostaria que me ajudassem. Obrigada :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Laissa, tudo bem? Primeiro, obrigado por ler o blog. Quanto à sua pergunta há duas formas de se entrar nesses lugares com ou sem autorização.
      Te aconselho a não entrar nesses lugares, pois, além de risco de desabamentos de telhados, lajes, quedas, há o problema de ter no local cachorros e até pessoas (usuários de drogas, vândalos, pessoas má intencionadas).
      Um grande abraço.

      Excluir
    2. A realidade aqui no Brasil é totalmente diferente do que encontramos no exterior.

      Fora todos os problemas mencionados pelo Renato, há ainda o risco de doenças como o tétano e a dengue.

      Entrar em um local como esse requer planejamento e estudo que pode ser de dias, semanas ou até meses.
      Muita coisa pode dar errada, e se der, não terá ninguém por perto pra te ajudar.

      Resumindo: Não entre.

      Excluir
  2. Ahhh,então obrigada gente. :/ Mas tem lugares abandonados,que podem ser visitados não é? Que tipo ,muita gente vai,e tal ?

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS