quarta-feira, 6 de junho de 2012

O explorador das antigas Ferrovias Paulistas

Estava afastado do blog por motivos pessoais. Estava apenas acrescentando vídeos, imagens, atualizando coisas já feitas. Porém se aproximando dos dois anos do blog e quase 150 mil visitas encontrei Daniel Gentili que, gentilmente mandou um material precioso para o blog. E de quebra ainda conheci um explorador urbano de ferrovias paulistas e estações abandonadas esquecidas pelas cidadezinhas do estado de SP. 





Pesquisando material na internet me deparei com três vídeos feitos por Daniel Gentili. Ele tem 68 anos e já foi um usuário frequente das ferrovias paulistas, quando elas existiram. Entre elas a ferrovia Sorocabana, Paulista, Noroeste, Santos, Jundiaí, entre outras. Desde os anos 50 viajando de trem, Daniel foi testemunha de um sistema de transporte que tinha muito futuro em nosso país. Viu seu auge e sua decadência.
Desde 2009 ele já registrou em mais de 1500 imagens as ruínas de estações e das próprias estradas de ferro num percurso que se estendeu do estado de São Paulo ao do Paraná. Dessas imagens surgiram os três vídeos abaixo:







Encontrei também imagens de Daniel nos seguintes sites e blogs, já conhecidos do Lugares Esquecidos. São eles:








Na estrada, ou melhor, nos trilhos, faz tempo, Daniel tem muito a nos dizer e é por isso que agora vocês com as palavras e as explorações deste senhor que fez um trabalho incrível. Tão grande e importante que ficará pequeno para uma postagem só. 


"Sempre gostei de trens. Lá em Botucatu, minha cidade natal. Não morava longe da estação e nem dos túneis da Sorocabana na "Serra" de Botucatu (o nome geologicamente correto é Cuesta).

Tive dois tios e dois primos que foram ferroviários da Sorocabana além dos “tios”  pais dos meus amigos... Lembro bem da minha primeira viagem foi de Botucatu para S.Paulo em 1949...tinha 5 anos mas não esqueço da “baita” locomotiva a vapor puxando vagões, apitando, tocando o sino soltando fumaça e vapor.....era uma maravilha...Desde 2009 estou tirando fotos das estações por onde passei e de algumas por onde não passei.Realmemte o patrimônio abandonado é muito grande...grande mesmo... e tem lugares que é praticamente impossível a recuperação depois de tanto tempo....as ferrovias até meados dos anos 50 até que foram bem mas depois do Juscelino com o aumento das rodovias, fabricas de automóveis e a grande falta de visão e preparo dos governantes eleitos por um povo desinteressado pelo país, corrupção etc...etc...as ferovias foram ficando abandonadas  e depois privatizadas ( o que sobrou ) e hoje sub utilizadas... 
Os traçados que são muito antigos alguns do século XIX e boa parte do iníco do XX, cheios de curvas, hoje estão obsoletos.  As ferrovias deveriam voltar com traçados novos, trens modernos e, principalmente, para carga...que sempre foi o objetivo principal das ferrovias no Brasil e no mundo."
 


Apuãs


Apuãs “era” uma localidade próxima a Botucatu ( minha cidade natal) onde existia uma subestação elétrica e algumas casas de funcionários da Estrada de Ferro Sorocabana, além de uma pequena estação.


Como dá para perceber agora são só ruínas e vagões abandonados....da estação só ficou a plataforma e um resto de parede...

Hoje é um local de difícil acesso. Sofri um bocado com o meu joelho ( artrose ) para chegar até lá. Ainda bem que estava com um amigo....fiquei por lá cerca de uma hora a vista da “Serra” de Botucatu é muito bonita...




Deu para relembrar o passado, os trens, as viagens a infância, a juventude...e curiosamente lembrei que o meu primo sempre comentava que em Apuãs morava uma loirinha bonita...passei por esta estação inúmeras vezes mas nunca via a tal loirinha.....


  






Avaí
Estação na antiga E.Ferro Noroeste, pequena cidade perto de onde moro ( Lins-SP ). Hoje a N.O.B. é explorada pela ALL porém é sub utilizada.






Avanhandava
A cidade tem este nome pois fica perto de onde havia o Salto de Avanhandava, que hoje não existe mais em virtude de estar encoberto pelas águas da represa do rio Tietê (Usina de Avanhandava)






Brasília
A Estação de Brasilia era uma estação da Cia.Paulista de Estrada de Ferro. Fica perto da pequena cidade de Piratininga que é bem perto de Baurú.  Esta desativada desde que a Paulista retificou a ferrovia no trajeto entre Baurú e Marília, há mais de 50 anos. Esta Brasilia é uma pequena vila com algumas casas e a estação que não esta “abandonada” porque se encontra dentro de uma propriedade particular. Portanto é uma Brasilia mais antiga que a Brasilia Capital.






Cafelândia / Cafelândia Velha 
Cafelândia é uma cidade pequena aqui perto de Lins. 
Esta é a segunda estação que é da época em que a Noroeste teve alguns trechos “retificados”. 
A primeira que era no centro da cidade não existe mais, somente alguns armazéns abandonados ainda “estão de pé”










Continuando com a estação de Cafelândia algumas imagens da antiga estação, ou melhor, do lugar onde era.
Existem somente os armazéns abandonados a caixa d'água que servia para abastecer as antigas locomotivas a vapor. Há também o “monte” de terra que da para perceber em duas imagens que era o local onde a estação  existiu.







Cândido Mota
Cândido Mota  pequena cidade na linha tronco da E.F.S.








Cesar Neto
Cesar Neto é uma pequena localidade perto de Apuãs.
Esta estação foi construida no início dos anos 50, e no trecho da E.F.Sorocabana entre Juquiratiba e Botucatu foram feitas algumas estações iguais a esta. Como exemplo, a de Apuãs.




Conchas
Conchas é uma cidade perto de Botucatu SP (60 Km mais ou menos). Mai uma estação da antiga E.F. Sorocabana.







Coroados
Esta estação fazia parte da Noroeste. Fica perto de Lins.





Garça
Segunda estação da cidade de Garça. A primeira que ficava no centro da cidade não existe mais. Garça fica próxima à cidade de Marília e era servida pela Cia paulista.











Guaiçara
Também perto de Lins.






Herculândia






Iacri





Jacarezinho






























Lins
Muitas vezes “tomei” o trem nesta estação para ir até Campo Grande MS.














Manduri
Manduri é uma pequena cidade na linha tronco da E.F.S.











Pirambóia
Piramboia também está no trecho da E.F.S. entre Botucatu e Juquiratibana.





Rubiácea
Rubiácea ( nome científicao da “árvore” de café) é uma pequena cidade próxima a Araçatuba. A estação pertenceu à ferrovia era a E.F.Noroeste do Brasil.




São Manuel
S.Manuel fica no ramal da antiga Sorocabana que vai de Rubião Junior à Baurú. Junto à estação existe também um armazém que segue no mesmo abandono.
Conheci esta estação em plena atividade. Fico extremamente revoltado em ver a que estado ficou. As imagens representam a dura realidade de um povo que não tem memória e e não tem interesse pela sua história.




















































Tibiriçá
Tibiriçá é uma pequena cidade próxima de Baurú.





















Val de Palmas
Val de Palmas é uma localidade próxima a Bauru na antiga N.O.B. ( Estrada de Ferro Noroeste do Brasil) 
Neste local praticamene só existiu a estação. Sua “arquitetura” é bem característica da  N.O.B.  Existem  delas em ruínas muitas e pouquíssimas restauradas. Nenhuma está funcionando como estação ferroviária.














Deu para sentir pelas explorações de Daniel que o roteiro é enorme e cheio de história. Uma que pena esta história esteja se perdendo... Mas o Lugares Esquecidos está aqui pra isso, para lembrar que esses lugarem existiram e ainda estão lá. Todos "capengas", em ruínas muitas vezes, mas todos com ma coisa em comum: apesar de terem perdido seu significado em todo contexto no qual se inseriam ainda continuam sendo ponto de atração, porém agora pelo abandono. Esses lugares foram reutilizados, reformulados e revirados pelo uso marginal à nossa sociedade elém de terem sofrido a ação do tempo sem qualquer manutenção. É isso que faz do lugar abandonado um mistério: quais os processos de ocupação e uso pelos quais passaram o lugar abandonado?
Parabéns para o Daniel Gentili pela atitude de fazer essa pesquisa e obrigado pela postagem.

Ainda existem alguns vídeos feitos pelo Daniel que estão no perfil dele do youtube e eu gostaria de pô-los aqui também. São eles:





26 comentários:

  1. Respostas
    1. realmente somos um pais sem memória , triste abandono, alias , descaso.

      Excluir
  2. realmente um abandono sem memoria da historia de nosso pais isso e brasil um relaxo do governo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelas fotos, infelizmente é muito triste mesmo ver todo esse abandono, mas pelo menos teremos ainda alguma recordação com essas fotos.

    ResponderExcluir
  4. aquela de são manoel poderia ser reformada,ia chover turista...
    quem nao pagaria para andar de maria fumaça?
    mas é isso, povo burro que só quer saber de futebol e governo que só quer saber de roubar

    ResponderExcluir
  5. Nasci em LINS e lembro-me desta estação. Poderia se fazer um ponto turístico da cidade.
    nosso pais chamado brasil so tem ladroes. poderiam ativar as linhas férreas.

    ResponderExcluir
  6. Só no Brasil que acontece uma calamidade dessa, onde já se viu trocar as ferrovias pelas rodovias, na Europa e nos EUA uma reforça a outra e o progresso continua pelas duas vias, mas no Brasil teria que ser ao contrário, também com esses péssimos administradores que nunca fizeram um curso superior. Uma lástima!
    João Victor Villadamos

    ResponderExcluir
  7. Dói ver estas imagens. Dói ver o descaso que o nosso governo "burro" (sem ofender o pobre do animal) vem tratando nossas ferrovias pelo Brasil afora. Até quando isso? Até quando vamos amargar nossas ferrovias virando sucata e o povo precisando de trem, precisando ir e vir e a aposta de nossos governantes continua sendo as rodovias. Chega disso. O povo precisa gritar e exigir que o patrimônio que é dele não seja tratado assim. Precisamos da volta dos trens de passageiro, precisamos que nossas ferrovias sejam salvas do abandono que hoje sofrem. Cadê o IPHAN? Cadê a ANTT? Cadê os malditos políticos que não veem isso? Cadê? É revoltante.

    ResponderExcluir
  8. Uma correção: Coroados fica na região de Araçatuba e não Lins, como anotado.

    ResponderExcluir
  9. Moradores antigos com nós, pagamos aluguel de uma casa da antiga fepasa...para que e para onde vai esse dinheiro? As vendas das casas iam sair...até agora nada, o dinheiro do aluguel seria usado para abater na compra e até agora nada... Muitos restos estão acabando em nada, moradias e ninguém dá noticia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. este é um assunto total e completamente ignorado pelas autoridades. estou chocado em saber que ainda se cobram aluguéis por essas moradias. deveriam ter sido dadas a vocês, funcionários que tiveram um baita prejuízo com todo esse processo de privatização da linhas férreas. uma lástima.
      ps.: boa pergunta: para onde está indo este dinheiro?

      Excluir
  10. volte à cidade de Cândido Mota e a terás uma surpresa!!!

    ResponderExcluir
  11. surge em 2015 Jovens Universitarios pela preservação da Estação Sorocabana em estado latismavel de abondono.

    ResponderExcluir
  12. Que dó, quando criança pensava que assim que eu tivesse maioridade viajaria num trem, mas infelizmente, quando a hora chegou ele se foram :-( .

    ResponderExcluir
  13. Muito interessante seu trabalho, gosto e já precisei viajar uns tempos de trem como de Tres Lagoas-MS à Araçatuba-SP entre 1.965 e 1.971. Mas precisamente no ano de 1.972 estudava no Colégio Madre Clélia e Adamantina-SP, e como sou de Brasílãndia-MS, cidade vizinha de Panorama-SP, antes era via balsa devido o rio paraná. Os trilhos, curvas, paisagens, apitos, parada em estações era meu divertimento. Já em 1.983 e 1984, fiz dois anos de faculdade em Marília, então os vagões foram se tornando um pouco de casa, são lembranças que não me saem da memória. Depois , como Dracena-SP era mais perto aí até dormíamos no quarto reservado na estação, mas sempre os policiais passavam por lá, tínhamos muito medo, éramos em 7 alunos e o trem só passava às duas e trinta da manhã, dormíamos em Panorama-SP e logo cedo na primeira balsa descolava uma carona para entrar às oito horas no serviço. Cada estação era um olhar curioso e muitos viajantes que desciam e subiam e o balanço dos vagões faziam com que pessoas sentassem rapidamente. Como tenho um gosto pela pintura em tela, houve uma época que pintei 5 trens com vagões e pessoas. Vou fazer uma visita nas estações mas próximas daqui e vou postar, aí verá o descaso como é contínuo, é uma pena. Deus te abençoe! Que as autoridades revejam e resolvam o triste abandono de muitos locais, igrejas, escolas, construções, aviões, barcos e outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou muito grato que pessoas como você - que vivenciaram e possuem relatos tão intensos sobre o tema - leiam minhas matérias neste blog.
      Lindo relato, viajei no tempo com suas palavras.
      Obrigado mais uma vez.

      Excluir
    2. lamento tudo isso, que diria D.PEDROII

      Excluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Agora, há pouco, elogiei o trabalho de V Sa mas não me contive. Estou de volta! Seu trabalho é ótimo! Não sou saudosista apenas, sou também realista. Note que nosso país abandonou o mais eficiente meio de transporte com uma extensão territorial imensa, o que custou para a nação tanto dinheiro hoje não tem nenhum proveito. As estações eram construções sólidas e as ferrovias transportavam a riqueza produzida pelo país, estando, ainda hoje, capazes de serem aproveitadas em muitos trechos. Retrocesso é o que se vê. O mundo todo se dá ao trabalho de preservar e construir ferrovias, escavando em rocha imensos túneis, levando a sério tão importante meio de transporte enquanto o Brasil tenta construir uns trechos por aí. Triste de ver!

    ResponderExcluir
  17. Oi, estou de volta! Sua página me atrai. V Sa notou que excluí dois comentários e o fiz apenas por duplicidade.
    Desta vez quero submeter à sua apreciação o comentário que segue. Meu filho fez viagem de trem da cidade de Belo Horizonte-MG para a cidade de Vitoria-ES. Média de 600km, duração de 16h horas, vagões classe econômica e executiva, restaurante, ar condicionado, etc. O que me chama à atenção nesse tipo de transporte é o quesito segurança pois, linha de trem não tem mão dupla, não tem faixa amarela, não tem buracos na pista, não tem motorista negligente em sentido contrário, e tantos outros "não tem" que depreende-se disso que desativar transporte de passageiros por trem é uma estupidez.
    Ah, se "os que pensam" (governam) nesse país pensassem nisso! Milhares de vidas continuariam existindo...

    ResponderExcluir
  18. PARABÉNS AO AUTOR DO blog E, A TODOS QUE CONTRIBUEM PARA ESTE DOCUMENTÁRIO... NA VERDADE É DE SUMA IMPORTÂNCIA PARA TODOS OS APRECIADORES DE HISTORIAS DO PASSADO ... SOU APRECIADOR DE DOCUMENTÁRIO DO PASSADO. OBRIGA ... SUCESSO E MUITA FELICIDADE.

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS