quinta-feira, 15 de março de 2012

Berlin e o Grafite URBEX


Postagem atualizada em 03 de janeiro de 2013.
Um site me chamou a atenção recentemente, foi o http://www.abandonedberlin.com/, e como já diz o nome trata-se de explorações em Berlin, e como na postagem há muito grafite urbex, resolvi mostrar o blog aqui. Vamos lá! Num moinho abandonado e em outros lugares, o explorador encontrou muita grafitagem, confere aí:








Link da postagem sobre o moinho abandonado e o grafite urbex:

http://www.abandonedberlin.com/2012/12/wolfswinkel-and-monsters-abandoned.html

Postagem anterior:
Já ouviu falar em Grafite URBEX? 
Grafite URBEX é uma tendência e um processo naturais e inerentes à exploração urbana. Antes do explorador urbano ir no local e registrar sua dinâmica/estética com fotos, muitos outros passantes e habitantes já frequentaram também o mesmo local. Um desses frequentadores é o grafiteiro/artista plástico (todo grafiteiro é um artista plástico). Em locais abandonados, esses artistas encontram o ambiente perfeito para exporem suas obras. Um local tranquilo  onde podem expor com muita cor e criatividade tudo que sentem. Como fizeram todos os outros ocupantes.
Sempre que explorei lugares abandonados encontrei grafitagens e pichações...
As meninas suicidas e os grafismos do Clube do Servidores:



O vagão abandonado na Rodoferroviária:







Na minha opinião, essa expressão transforma o lugar abandonado, dando-lhe um outro uso: o de plataforma física para a expressão artística da grafitagem e o de local de exposição dessas obras. O abandono e a cor combinam muito bem.
Foi navegando por essas praias que descobri o termo "grafite urbex", ou seja, grafitagem + exploração urbana. E foi pesquisando sobre isso que descobri que essa arte é muito praticada e difundida em Berlim. O grafite urbex em Berlin, além de ser uma tendência de arte, é também uma escola. Muitos artista grafiteiros aparecem a todo momento. Nomes como  Potsdam, Krampnits, BSF13, Nomad, MTO, Vhils, Tika, Mean Marek, Leimk, Nartur, Hope, Irgh, Urkel, MOMO, WB estão ficando famosos na cidade como artistas que expõem suas obras em lugares abandonados. Encontrei todos eles na galeria  do URBAN ARTefakte no link :  http://www.flickr.com/photos/steffireichert/, um potente endereço para quem curte do assunto arte urbana. 

Seriam os grafiteiros exploradores urbanos? ou o inverso? Em seguida mostrarei imagens de um projeto de dois grafiteiros de primeira também de Berlin, Attila Szamosi e Lars Wunderlich  (http://wwwpeachbeach.de/pb/), chamado "Collour in forgotten places". Eles se juntaram com amigos e, por três anos, exploraram lugares abandonados com o intuito de deixar por lá sua arte. Excelente trabalho. visitar essas grafitagens deve ser como procuram em um mapa do tesouro... de repente, no meio dos escombros, uma arte. Adorei a ideia e, por isso, fiz essa postagem bem colorida.

URBEX Grafitti


terça-feira, 6 de março de 2012

Ordos e as cidades fantasma da China - Mongólia Central






"A Cidade Vazia". Assim é conhecida a cidade de Ordos, ao norte da China. 
Ela foi erguida para suportar 1 milhão de habitantes, mas estatísticas do governo indicam que apenas 28 mil pessoas habitam na cidade, mesmo após 5 anos de construída. Isto deve-se aos altíssimos preços do metro quadrado no local, o qual cresceu cerca de 260%.

Ordos é uma região rica em recursos naturais. Possui enormes reservas de carvão e gás natural, e não é a única cidade chinesa dessa região nessa situação de abandono, também existem as cidades de Otog Qianqi, Ejin Horo, Kangbashi, Bayannao E, Zengzhou New District, DantuErenhot, e uma parte de Xinyang .

Apesar de vazia, Ordos está localizada numa região muito rica em reservas de carvão e gás natural (que são como ouro na China), por isso o governo decidiu investir na região e construir um distrito lá. E por causa de sua riqueza natural, a cidade tem a segunda maior renda per capita da China – fica atrás apenas de Shanghai. Ainda assim, os complexos de edifícios construídos pelo governo permanecem, na sua maior parte, completamente desertos.

O empreendimento é considerado um sucesso, apesar de tudo. Apartamentos foram vendidos e pessoas investiram pesado na cidade. Só não mudaram-se para lá. Sua proximidade com a Antiga Ordos, onde moram os compradores dos apartamentos da nova cidade, fez com que não surgisse nos habitantes interesse nem necessidade da mudança.

O governo tenta convencer a população a se mudar para a nova city - a velha Ordos tem problemas de abastecimento de água enquanto o novo distrito fica mais próximo a fontes do líquido - mas parece que, por enquanto, Ordos está fadada a ser uma cidade fantasma dos tempos atuais que, por ironia ou por um fenômeno contemporâneo, nem chegou a ser habitada. As outras cidades fantasma ficam cerca de 500/600 km de distância uma das outras, numa região de difícil acesso. 



Para afastar a crise financeira, a China vem tomando medidas de estímulo desde 2008, injetando quantidades enormes de dinheiro no mercado, por causa disso acabaram alimentando também o voraz mercado de imóveis, aumentando muito seus preços.

Esse realmente é um fenômeno urbanístico ultra recente e contemporâneo, além de curiosíssimo. A disparidade entre os preços do mercado imobiliário e condições de se comprar os imóveis são tão grandes, que a ocupação desejada pelos empreendedores não acontece. A China mostra ao mundo seu poder financeiro e sua habilidade em projetar cidades. Tendências contemporâneas do urbanismo estão presentes em todos os projetos, seja no urbanismo residencial ou monumental/cívico/administrativo. 
Sejam bem vindos às super cidades fantasmas da China.

Bayannao E



quinta-feira, 1 de março de 2012

Sergeevka e o playground medonho - Ucrânia


Sergeevka está localizada às margens do estuário Shabolatskogo, à beira do Mar Negro. Um balneário turístico conhecido por sua lama medicinal. Recanto ideal para russos em férias nos áureos tempos da União Soviética. Hoje, a pequena vila/resort está abandonada. Se dissolveu junto com a nação soviética. Toda a infra estrutura que alimentava o sistema, porém, ainda está lá. É uma pequena área no Kazaquistão que ainda se orgulha de ser um recanto de férias e descanso, mas ignorou seu passado soviético. 
Hotéis, casas abandonadas e vários outros sites esquecidos atraem turistas, os quais, provavelmente, foram os próprios depredadores das construções, pós fim da URSS. 
E é lá em Sergeevka que se encontra o playground mais medonho do mundo, tipo... assusta criancinha. Figuras bizarras de cimento armado (provavelmente) se encontram num estranho lugar onde dragões, uma sereia em árvores, um gato gigante acorrentado na árvore, e várias outras figuras e símbolos indecifráveis e assustadoras. Imagino que esse universo é de lendas russas. Quem saberá...?



TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS