terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Cemitérios da Igreja de São Sebastião - Igatu - Bahia


Olá, gente! continuando sobre as visitas feita na Bahia...
Durante a viagem à região da Chapada Diamantina fizemos uma parada de três dias na pequena vila de Igatu (cerca de 380 habitantes). Lá encontrei o Cemitério de São Sebastião - que na verdade são três um de cada lado da igreja e outro bem à sua frente - que tem esse nome devido pertencer à igreja de mesmo nome.
A palavra Igatu vem do Tupi e significa água boa - y/água katu/bom, e fica no município de Andaraí. Igatu teve seu auge no século XIX durante o ciclo da mineração de diamantes na região da Chapada Diamantina. Com a descoberta das minas de diamante na África no século XX e a saturação das minas da Chapada, a população de Igatu começou a diminuir mais e mais, e nos anos setenta chegou a ter pouco mais de 180 habitantes.
A Igreja de São Sebastião  foi restaurada recentemente pelo IPHAN e é um lindo exemplo de igreja daquela época. Nela há túmulos no estilo do Cemitério Santa Izabel em Mucugê - o Cemitério "Bizantino" http://www.lugaresesquecidos.com.br/2013/01/o-cemiterio-bizantino-na-chapada.html, só que no cemitério de Igatu eu encontrei um túmulo datado de 1800 - o de Mucugê foi fundado em 1855.
Fisicamente são três cemitérios: um de cada lado da igreja e um na frente dela que chega até onde começa a queda do terreno até embaixo no vale.

O primeiro cemitério é logo à direita no caminho que leva às Ruínas de Igatu - próxima e última postagem da viagem à Bahia.
Como o de Mucugê, ele sobe um pouco as encostas de pedra formando ruelas entre os túmulos. Logo na entrada nota-se alguns túmulos no chão e outros muito curiosos - um com grandes letras R em seu topo, túmulos menores e maiores e até um cristo redentor bem recente. Todos os ornamentos arquitetônicos - arcos, volutas e pináculos - presentes no cemitério Santa Izabel em Mucugê estão presentes neste também. Foi aqui que encontrei o túmulo de 1800.




























O segundo cemitério está do outro lado e são somente cinco túmulos todos no estilo dos de Mucugê. Frisos, altos relevos, volutas - aquelas "voltinhas"que as formas fazem, pináculos - pinos são os elementos mais presentes. O certo abandono dá todo o charme decadente e ressalta a estética do abandonado. 





































O terceiro - que fica em frente - possui pequenas cruzes na entrada, logo após um grande túmulo. Ao fim um pequeno conjunto de sepulturas que beiram a encosta morro abaixo. Logo a frente o outro morro, do outro lado do vale.
Esse é o mais triste e solitário dos três. Aparenta se muito pouco visitado e está sob intensa insolação. Encontrei uma coroa de flores de metal muito comum na região, mas já toda oxidada.
Os três ceitérios são exemplos de arquitetura do início do Ecletismo.







































Mais sobre Igatu e a história da região:


4 comentários:

  1. Renato, parabéns pelo seu trabalho!

    sou do PR e encontrei uma capela esquecida, gostaria de compartilhar a foto com você, como faço para manter contato? não achei seu e-mail e nem seu facebook... diogo.hercule@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! mande para renatopantoja0@gmail.com que eu ponho na postagem. Obrigado e grande abraço.

      Excluir
  2. Eu também gosto muito de cemitérios, a dois meses fui ao de Vitória de santo antão-PE, ele não e tão antigo como este mais tem túmulos bem interessantes. Você precisa vir ao cemitério de santo amaro no Recife, lá tem muitos túmulos de 1865, das famílias aristocratas pernambucanas, a arte tumular aqui e muito rica, mármore italiano projetados por artistas franceses da época, lá esta o tumulo perpetuo da família Othon, da família Sousa leão do famoso bolo Sousa leão!, e de Joaquin Nabuco.

    Edu G Anjos.

    ResponderExcluir
  3. Estos locais são sempre muito bonitos e pacíficos

    É uma pena que terminem algúns assim esquecidos..

    Um abraço

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS