quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Ruínas na ilha de Cotijuba - Amazônia - PA


Olá, gente boa!
Estou em férias e aproveitando para descansar bastante e, claro, visitar lugares abandonados, esquecidos, ruínas, etc. 
Estou no norte do Brasil - em Belém - e por aqui tem muitos lugares que hoje estão abandonados. A grande maioria ligada ao apogeu da região nas primeiras fases da extração da borracha vegetal (seringueira). 
Visitei uma ilha muito famosa por aqui por ser muito perto de Belém e de acesso rápido. Chama-se Cotijuba. Nesta ilha há três prédios bem interessantes em ruínas, dos quais eu fui em dois. São eles: as ruínas da casa do antigo intendente do estado Magalhães Barata, do presídio/educandário. O terceiro são as ruínas do "engenho velho", mas este vai ficar pra uma outra visita.

Casa de Magalhães Barata
Magalhães Barata foi uma figura política muito popular no estado do Pará. Militar, foi intendente do estado pela primeira vez de 1930 a 1934, 
Governou de maneira muito populista, teve muito inimigos e, em suas indas e vindas ao poder, governou durante trinta anos.
Barata morreu em 1959, e dizem que foi nessa casa que hoje está em ruínas na Ilha.

A vista das ruínas.












































Ruínas  do "Educandário" Nogueira de Farias
Fundado em 1933, o educandário era na verdade um presídio para jovens infratores. O primeiro presídio do Pará. Altos índices de criminalidade na época fizeram com que se construísse esse prédio. Foi durante o governo de Magalhães Barata, que comandou com braço de ferro o local. Dizem que os presos mais famosos e perigosos eram mortos quase que imediatamente à chegada ao local. Isso fez com que se criasse uma falsa imagem do governante como apaziguador da ordem pública. Porém, todos sabiam a razão dos marginais terem sumido da cidade. Durante o governo/ditadura militar de 45 serviu de prisão para presos políticos. 




























































Fontes:

http://parahistorico.blogspot.com.br/2009/02/governo-de-magalhaes-barata-no-para.html

http://www.jesocarneiro.com.br/artigos/o-tudo-a-ver-de-magalhaes-barata-com-belterra.html

http://augustoemiliobarata.blogspot.com.br/2005/08/magalhes-barata-um-mito-que-resiste-ao.html

http://conheca-ilhadecotijuba.webnode.com.br/news/antigo-presido-de-cotijuba-um-forte-atrativo-historico-turistico/

6 comentários:

  1. Também fiquei curioso da frase na parede!!

    Já que esta no Pará.. uma boa pedida seria Fordlandia né?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. PRIMEIRAMENTE BOAS FÉRIAS. SE JÁ AS CURTIU QUE ESTEJA REVIGORADO!
    AMEI ESSE ASSUNTO, AS FOTOS ESTÃO BELAS RENATO!
    NUMA DAS PRIMEIRAS FOTOS EM QUE VOCÊ MOSTRA UM PISO VERDE ME EMOCIONEI PORQUE MOREI NUMA CASA QUE TINHA AQUELE PISO. COMO DANADO SEU DESENHO GEOMÉTRICO FOI PARAR NO PARÁ? TOLICE EU PERGUNTAR ISSO! MUITO BOM RENATO.

    ResponderExcluir
  3. RENATO, "TUDO PELO BRASIL NADA...
    SÓ VALE A PENA VIVER SENDO TRABALHADOR? É ISSO? COMPLETA A FRASE RENATO!

    ResponderExcluir
  4. muito bom para o historiador e seus admiradores mas, para quem viveu os horrores da solidão e muita dor, lembrar e ver estes locais onde pessoas passaram momentos de sofrimentos. mas, a história é feita de dessas coisas, fazer o que?

    ResponderExcluir
  5. Bela postagem, adorei as imagens, e principalmente as referências. É muito parco as publicações que versem sobre a História do Pará, e mais ainda sobre a história das ilhas de Belém. Abraços.

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS