quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

As cidades submersas esquecidas


Olá, gente boa!
Esse tema me fascina: cidades esquecidas submersas sob as águas do planeta. Tem coisa mais escondida e misteriosa? A mais famosa de todas é Atlântida, sem dúvida - um continente inteiro que supostamente existiu entre a  Europa e a América - mas há outras, esquecidas, submersas... e com elas, sua história, a qual ninguém jamais descobrirá. Vamos a elas.

Lion City - China
No sopé da montanha Wu Shi - Cinco Leões - encontra-se uma cidade antiga conhecida como Shi Cheng, Lion City. Construída durante a dinastia Han Oriental (25 dC - 200). No momento, Shi Cheng permanece imperturbável a uma profundidade de 40m.
O nome "cidade do leão" é por causa das estátuas de leões ornamentadas que guardam sua entrada.  São leões de guarda na frente de palácios imperiais chineses, túmulos imperiais, escritórios governamentais, templos e as casas dos funcionários do governo e os ricos na China pré-moderna.
A tradição era popular durante a dinastia Han, quando os leões foram considerados protetores míticos poderosos das propriedades.
A inundação que ocorreu em 1959, devido a um projeto de hidrelétrica na região destinou a antiga cidade às profundezas do lago. Triste fim.










Desenho de como era a cidade:



Fontes:








Vídeos:





As ruínas de Yonaguni - Japão
E, 1987, o instrutor de mergulho Kihachiro Aratake explorava a região das ilhas Yonaguni - em Okinawa, na intenção de descobrir lugares mais interessantes e inexplorados para levar seus clientes, mas na verdade o que ele descobriu foi muito além de suas expectativas e surpreendeu a comunidade científica e o mundo inteiro: um complexo gigantesco de formação rochosa escondida a poucos metros sob as águas do mar e, detalhe, a formação não parecia ter sido feita pela natureza.
O mais intrigante é pensar que: se as ruínas foram cobertas pelas águas na última elevação dos oceanos a civilização não possuía métodos para construir tal monumento. As formas impressionantemente retas, escadarias, portais, algo que se parece com uma face e todo seu alinhamento ao sul não são consideradas formações naturais pela maioria dos cientistas, apesar de haver alguns que pensam que são.
Os estudos realizados indicam que o local poderia ser um templo e as lendas e canções antigas de Okinawa falam do "Palácio de Deus no Mar" - um palácio de belezas indescritíveis que existiu no arquipélago - e de cidades submersas. Histórias que têm sido passada de geração em geração por centenas de anos.











Fontes:

http://theocculttruth.com/index.php?p=1_49

http://blackrainbownihon.blogspot.com.br/2011/09/yonaguni-mysterious-japanese-underwater.html

http://www.abovetopsecret.com/forum/thread944175/pg2&mem=

http://forum.outerspace.terra.com.br/index.php?threads/hist%C3%B3ria-civiliza%C3%A7%C3%A3o-mu-e-as-estruturas-submersas-de-yonaguni.342471/

Vídeos:








Baia - Antiga cidade romana em Porto Julius
Para combater os ataques freqüentes sobre a Itália e sobre as rotas de transporte de grãos realizados pelo rebelde Sexto Pompeu (filho mais novo de Pompeu, o Grande), Roma precisava de um porto naval seguro para construir e treinar uma frota naval contra Sexto. Para executar a operação, perceberam que o Lago Averno era invisível das águas do mar e da baía, e argumentou que a existência da frota não poderia ser mantido em segredo. O plano foi cavar um canal para ligar o Lago Averno ao Lago Lucrino e um segundo canal, mais curto, com uma entrada escondida entre o Lago Lucrino e o mar. Para disfarçar as atividades ainda mais, um túnel de acesso foi escavado do Lago Averno norte para a cidade de Cumas.

A estratégia inovadora fez com que a construção da nova frota permanecesse em segredo. E quando ela ficou pronta e totalmente equipada e treinada, a frota deixou sua base secreta e derrotou Sexto na Batalha de Naulochus (ao largo da costa norte da Sicília), a batalha naval decisiva da campanha.
Baia foi um resort romano à beira-mar, na Baía de Nápoles, o qual por várias centenas de anos se manteve como um point da moda, especialmente no final da república romana. Baia foi ainda mais popular do que Pompéia, Herculano e Capri, com os seus superricos, frequentada por hedonistas  e cercada de rumores de escândalos e corrupção.
Baia foi saqueada por invasores muçulmanos no século 8 dC e foi abandonada por causa da malária em 1500. Baia está agora sob as águas da Baía de Nápoles, em grande parte devido à atividade vulcânica local e ao assoreamento.














Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Baiae

http://en.wikipedia.org/wiki/Portus_Julius

http://www.rivistahydepark.org/tag/bradisismo-campania/

http://www.incampania.com/en/turismo.cfm?s=4&Menu_ID=170&Sub_ID=172&Info_ID=3952

http://www.fashion-tour.com/dettatt20/activities-scuba-diving-Gulf-of-Naples--snorkeling-Marine-Archeological-Park-Baia--scuba-dives.html

Videos:







Uma linda animação da região:


Porto Royal - Jamaica
Porto Royal é uma cidade localizada na foz do porto de Kingston, sudeste da Jamaica. Fundada em 1518, foi o centro de transporte comércio no Mar do Caribe durante a última metade do século 17. Foi destruída por um terremoto em 1692 e um subsequente tsunami e incêndios. Furacões graves têm regularmente danificado o que sobrou da cidade. Outro grave terremoto aconteceu em 1907.
A cidade cresceu rapidamente. Em 1692, possuía cerca de 6.500 habitantes - 2.000 habitações. Durante esse período, tornou-se prática comum, preencher áreas de água com infra-estruturas para estender o crescimento da cidade. Além disso, os edifícios construídos eram, em sua maioria, casas tijolo maciços bastante pesados. No final, todos esses fatores contribuíram para o desastre iminente.
Em 7 de Junho, 1692, um terremoto devastador atingiu a cidade, e a maioria de sua seção norte da cidade caiu no mar - e com ele muitas das casas da cidade e outros edifícios.
Encontrei quase nenhum material fotográfico sobre este lugar, nem mesmo vídeos. Para mais informações favor ir nos links. As imagens são tão poucas e de tão baixa resolução que achei melhor nem colocá-las.


Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Port_royal

http://theocculttruth.com/index.php?p=1_49

http://whyfiles.org/036pirates/lost_city.html

http://nautarch.tamu.edu/portroyal/archhist.htm

Alexandria
Alexandria foi uma das maiores e mais belas cidades da antiguidade. Fundada por Alexandre, o Grande, em 331 aC , a arquitetura ea cultura da própria Roma foram ofuscados pela cidade egípcia . Palácios e templos dominava o horizonte. A beleza desta capital política, religiosa , cultural e científico despertou a admiração dos visitantes , como o geógrafo grego Estrabão . A população já ultrapassou a marca de 100.000 , logo após a fundação de Alexandria. C da cidade . 130 metros de altura farol Pharos representou uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo. Alexandria também era famoso por sua enorme biblioteca com cerca de meio milhão de papéis de papiro. Partes do trimestre real da cidade com seus templos , palácios, jardins reais e estruturas portuárias foram situado no porto oriental, chamado Portus Magnus . Aqui, na ilha de Antirhodos ea Península Poseidium , Júlio César, Marc Anthony ea famosa Cleópatra costumava ficar .
Devido a uma combinação de fenômenos naturais, incluindo uma série de terremotos e maremotos , o Portus Magnus e partes da antiga linha costeira da cidade afundou sob o mar. Por mais de 1200 anos templos , edifícios , palácios , estátuas, cerâmica , moedas, jóias e objetos de todos os dias estava intacta no fundo do mar coberta por espessas camadas de areia e sedimentos.















Fonte:

http://www.franckgoddio.org/projects/sunken-civilizations/alexandria.html


Canopus
A antiga cidade de Canopus é mencionado muitas vezes por autores clássicos e por padres da Igreja. A menção mais antiga de Canopus pode ser encontrado em um poema de Solon, mas de acordo com o poeta Nicandro ( século 2 aC), um timoneiro de Menelau, de nome Canopus, morreu neste lugar, mordido por uma víbora nas areias da Thonis. A cidade localizada perto foi nomeada com o nome do infeliz marinheiro: Canopus. Durante as últimas dinastias faraônicas e o período ptolemaico, Canopus era famosa por seus santuários de Osíris e Serapis. Peregrinos de todo o mundo vieram visitá-los em busca de cura milagrosa .
Dois quilômetros ao leste do porto moderno de Aboukir, se identificou uma zona que contém inúmeros vestígios arqueológicos, incluindo aos já descobertos pelo príncipe Toussoun em 1933. Este site é composto por uma linha de ruínas 150 metros de comprimento. Eixos quebrados de colunas de granito vermelho são combinados com os blocos de construção de calcário e outros elementos arquitetônicos. Artefatos, incluindo jóias, cruzes , moedas e selos do período bizantino. Para o norte dessas estruturas, encontra-se as bases bem preservados de uma parede que mede 103 metros de comprimento. Sugere-se que esta parede teria cercado um templo que, a partir da escala do muro, seria o maior santuário egípcio encontrado até agora na região.
Pedaços de granito inscritos com hieróglifos foram encontrados também. Estes mostraram-se mais partes de uma famosa capela monolítica, partes da qual já haviam sido encontradas pelas explorações do príncipe em 1933. Entre vários outros fragmentos de estátuas encontrados nesta área, destaca-se uma cabeça de mármore notável do deus Serápis, datada do período ptolomaico.










Fonte:

http://www.franckgoddio.org/projects/sunken-civilizations/canopus.html

Heracleion - o reino perdido de Cleópatra
Heracleion, que durante séculos pensou-se que fosse uma lenda, uma cidade de extraordinária riqueza mencionada por Heródoto, na visita de Helena de Tróia e Paris, e que estaria enterrada no fundo do mar. Acredita-se Heracleion serviu como porta de entrada obrigatória para o Egito para todos os navios que vêm do mundo grego.
A cidade , também chamada Thonis ( pelos gregos ), desapareceu da Terra cerca de 1200 anos atrás, e recentemente foi encontrada. A cidade está localizada dentro de uma área de pesquisa na parte ocidental de Aboukir, no Egito.
Foi descoberto em Heracleion:
Mais de 64 navios enterrados na argila grossa e areia que cobre o fundo do mar; moedas de ouro; gigantes estátuas de 16 pés, juntamente com centenas de estátuas menores de deuses de menor importância; placas de pedra inscrita em grego antigo e do antigo Egito; dezenas de pequenos sarcófagos de pedra calcária e mais de 700 âncoras antigas.
É uma cidade envolta em mitos, engolida pelo mar Mediterrâneo e enterrada na areia e lama por mais de 1.200 anos. Os arqueólogos que estão escavando os mistérios da Heracleion, estão descobrindo artefatos surpreendentemente bem preservados que contam a história de um porto muito vibrante da era clássica.
A cidade foi redescoberta em 2000 pelo francês arqueólogo subaquático Dr. Franck Goddio e uma equipe do Instituto Europeu para a Underwater Acheology ( IEASM ) depois de um levantamento geofísico de quatro anos. As ruínas da cidade perdida foram encontrados 30 pés abaixo da superfície do mar Mediterrâneo, perto de Alexandria.





















Fontes:

http://www.wherecoolthingshappen.com/lost-egyptian-city-found-after-1200-years/

http://www.huffingtonpost.com/2013/04/29/heracleion-photos-lost-egyptian-city_n_3178208.html

http://philosophers-stone.co.uk/wordpress/2013/11/stunning-underwater-photos-reveal-secrets-of-legendary-lost-city-of-heracleion-2/

http://www.messagetoeagle.com/updatelostkingdomcleopatra.php

http://www.giantfreakinrobot.com/sci/photos-lost-egyptian-city-underwater.html

http://blog.blendimages.com/tag/ancient-city-heracleion/

http://www.strangerdimensions.com/2013/06/06/exploring-the-sunken-city-of-heracleion/

http://www.franckgoddio.org/projects/sunken-civilizations/heracleion.html


Vídeos:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS