domingo, 19 de janeiro de 2014

Athaydeville e a Torre H de Oscar Niemeyer - Barra da Tijuca - RJ


Olá, gente boa!
Quero falar de outra torre projetada pelo arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer que está abandonada no Rio de Janeiro (ver a postagem http://www.lugaresesquecidos.com.br/2012/12/hotel-nacional-o-hotel-esquecidos-de.html) Torre H, a qual fez parte de um projeto visionário e gigantesco de ocupação da Barra da Tijuca de autoria do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer.

Athaydeville - Barra da Tijuca - RJ
Athaydeville foi um projeto de construção de residências, lojas e escritórios na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, de 1969, que resultou em um dos maiores escândalos imobiliários do Brasil. Depois de atrasos nas obras, reduções nas dimensões do projeto e pendências judiciais, ergueram-se três torres residenciais; uma delas, apesar de vendida a centenas de pessoas, encontra-se abandonada.
No final dos anos 60, após o lançamento do Plano Piloto da Barra da Tijuca - com projeto de Lúcio Costa - a Desenvolvimento Engenharia (do empresário Múcio Athayde) lançou o Centro da Barra. Segundo o projeto haveriam 76 torres residenciais cilíndricas de 36 andares, projetadas por Oscar Niemeyer, combinadas com áreas de comércio, lazer e serviços. O cronograma original previa a inauguração das primeiras unidades em 1974, e todas as obras estariam concluídas em 1980.
Por causa de falhas na administração, Lúcio Costa se desligou do projeto, e o tamanho dos apartamentos foi reduzido e desagradou muitos interessados. As obras da Torre H, iniciadas em 1970 , foram paralisadas em 1972 por falhas na integridade estrutural, sendo reiniciadas mais tarde.
Diante dos atrasos nas obras, os mutuários devolviam suas cotas à empresa por preço abaixo do mercado - essas cotas eram revendidas a outros mutuários, sem que essas transações fossem registradas em cartório. Essa manobra, exacerbada pela elevada inflação do período, teria gerado grandes lucros à Desenvolvimento. Por sua vez, Múcio Athayde publicava matérias pagas em jornais para declarar-se vítima de um bloqueio econômico do governo, que lhe dificultava o acesso a financiamentos do BNH em condições favoráveis.
Renomeado Athaydeville no fim da década de 1970, o empreendimento foi reformulado e reduzido para quatro torres, mas continuou a controvérsia em torno da viabilidade do projeto. Em 1984, uma comissão especial de inquérito da Câmara Municipal do Rio de Janeiro chegou a recomendar à prefeitura que não renovasse licenças para construção de novas torres no Athaydeville diante de irregularidades no pagamento de impostos.
Das quatro torres, três foram completadas e duas entregues:
Torre Abraham Lincoln (Torre H) - construção inciada em 19706 , paralisada em 19847, sem conclusão e sem habite-se; Torre Ernest Hemingway - construção entre 1973 e 19778, não concluída pela Desenvolvimento, transferida à Encol, que a inaugurou em 1994; Torre Charles de Gaulle (Torre A), construída entre 1974 e 1990 e entregue aos compradores.
Com 36 andares e 120 metros de altura, os três edifícios são até hoje as estruturas mais altas da Barra da Tijuca.
Apesar dos problemas, o empreendimento continuou sendo oferecido em constantes campanhas publicitárias até a década de 1990. Restou desocupado o esqueleto da Torre H, que teve 250 de seus 454 apartamentos vendidos. Por cerca de um mês, em 2004, o edifício vazio chegou a ser ocupado por habitantes de uma favela próxima. A crise da invasão acelerou o processo de falência da Desenvolvimento Engenharia, decretada em 2005. 190 apartamentos da Torre H foram levados a leilão em 2007, e a Associação de Adquirentes da Torre H decidiu completar as obras com recursos próprios. As obras seguem indefinidas e, caso não seja reformado e ocupado regularmente, o edifício corre o risco de ser implodido.


Em 2010 uma dupla de artistas holandeses criou uma versão virtual da Torre H num projeto intitulado "Paraíso Ocupado", cujo objetivo foi detalhar em mais de 20 mil fotografias o projeto do grande arquiteto brasileiro e estimular a reflexão sobre a situação da torre e seus compradores.





















Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Athaydeville

http://eatrio.net/2013/03/rios-lost-paradise.html

http://paraisoocupado.com/?cat=8

http://flaviogomes.warmup.com.br/2014/01/o-esqueleto-da-barra/

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1451083&page=19&langid=6

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1542933&page=13

http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/7267-obras-nacionais-de-oscar-niemeyer

http://goo.gl/maps/mkWny

http://www.osterholtuitentuis.nl/paraiso-ocupado/paraiso-ocupado-3

http://www.clippingexpress.com.br/ce2/?a=noticia&nv=UC0DdSnYzHtx-qiFZNk-pw&printPreview=1

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1451083&page=19

http://forum.vborghese.com.br/?page_id=553

5 comentários:

  1. Fui ao RJ no final do ano passado e me deparei com este prédio, completamente abandonado e que pode ser visto de grande parte da Barra da Tijuca. A estrutura é magnífica e poderia ser um dos melhores edifícios do país, facilmente.

    ResponderExcluir
  2. Acho esse edifício fantástico, uma das preciosidades abandonadas na minha cidade maravilhosa.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde , sou estudante de arquitetura, queria saber se poderia me dizer onde conseguiu a imagem da planta do edificio ? Adorei o blog ..

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAHAHAHHAHAHAH SORRY NÃO PUDE DEIXAR DE RIR COM ESSAS PROMESSAS FEITAS DAS PROPAGANDAS DESSAS TORRES. ENFIM, +1 ABANDONADO

    ResponderExcluir
  5. É até bom que aquela propaganda, no jornal de 1971, com vários destes prédios redondos, não tenha vingado, pois é tudo muito estranho, em minha opinião. Não que eu goste, atualmente, da solução urbanística desta região da Barra, cujas construções não me agradam muito, mas todos estes prédios redondos, como na foto, ficaria pior. Entretanto, não compreendo qual o motivo desta torre "H" não ser concluída, pois está em uma região importante da cidade do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS