quinta-feira, 19 de junho de 2014

Túneis e undergrounds

Postagem atualizada em 19 de junho de 2014. 

Olá, gente boa!
Uma atualização cheia de mistério e explorações maravilhosas. Particularmente gosto muito do tema. Aproveitem a viagem ao subterrâneo.

Cavernas Longyou
Longyou Caves é uma série de grandes cavernas artificiais localizadas na província chinesa de Zhejiang. São mais de mil metros quadrados, com alturas de até 30 metros. Elas são consideradas pelos chineses a "nona maravilha do mundo antigo", mas a origem das 24 cavernas - exploradas até agora - é um mistério sem pistas. Descobertas em 1992 (!!), elas possuem nenhum registro histórico ou evidência do trabalho envolvido para escavar os quase um milhão metros cúbicos de rocha bruta. Os cortes nas pedras foram feitos de tal forma que deixaram um padrão curiosíssimo ao longo das cavernas. As superfícies do teto, das paredes e pilares são tudo terminado, do mesmo modo, como uma série de faixas paralelas sobre 60 cm de largura, todas sob angulação de cerca de 60°. Os padrões são semelhantes aos encontrados em cerâmicas datadas entre 500 e 800 aC. Esculturas em pedra e gigantescos pilares podem ser vistos na caverna, aberta para visitação pública. Há também um boato de que a disposição de sete das cavernas coincide com a distribuição das sete estrelas da Ursa Maior.
A pergunta que não quer calar: "Nossos antepassados da época da construção dessas cavernam possuíam condições tecnológicas para construir isso?"

















Fontes:








Os túneis da Idade da Pedra
Arqueólogos descobriram, recentemente, evidências de uma extensa rede de túneis subterrâneos, os quais chegam a uma profundidade de 700 metros - na Baviera, Alemanha - 350 metros, na Áustria. Pasmem! Eles se estendem da Escócia à Turquia, por baixo de centenas de assentamentos neolíticos. O fato de existirem por cerca de 12 mil anos é um testemunho da habilidade dos construtores e da dimensão que a rede original deve ter tido. 
Apesar da rede - aparentemente - não se ligar, especialistas acreditam que pessoas usaram esses túneis para viajar com segurança, independentemente do perigo que estavam enfrentando. Por todo o sistema, há o que parecem serem áreas de armazenagem e de estar.










Fontes:






Túnel abandonado na Pensilvânia
Um lugar incrível. Cheio de grafitagem UrbEx e um clima muito sinistro. Perfeito para uma exploração. Uma espécie de pedágio. Observem os vários setores que esse local tem. Muito bom mesmo.
Leia mais sobre essa aventura aqui.

















 






 















Fonte:


Túneis abandonados em Washigton, D.C.
Um mix de várias visitas feitas por este explorador em túneis abandonados na capital dos E.U.A. Impressionante a infraestrutura que é deixada para trás constantemente nas grandes cidades. Crescimento urbano, modernizações e até falência são responsáveis pelo abandono. Prato cheio para os habitantes da cidade que não possuem casa, os quais frequentam esses lugares em busca de abrigo. Cenário apocalíptico.




























Fonte:



A Mina Box - Reino Unido



































Fonte:

http://en.wikipedia.org/wiki/Box_Mine

http://mikedeere.com/box-freestone-mine/

http://www.mine-explorer.co.uk/view_picture.asp?id=515





Atualização anterior:

Postagem atualizada em 29 de outubro de 2013.

Túneis e Undergrounds no Japão
Exploradores urbanos (UE) buscam acesso não autorizado em vários tipos de instalações industriais dentro da malha urbana, principalmente. São locais somente acessíveis por operários e funcionários da empresa, pessoas que fazem a manutenção e o controle dos equipamentos que estão nesses locais. lugares como topos e interiores de pontes, túneis de instalações diversas no subsolo das cidades, torres de celulares e tv em construção ou construídas em topos de arranha céus, instalações e túneis do metrô, e até minas.
A maioria das explorações desta atualização foi feita por um UE russo e seu amigos, vale muito a pena se aprofundar no blog dele. São túneis de todo o tipo. Divirtam-se!

Túneis da antiga hidrelétrica
A estrutura gigantesca de túneis que dava suporte à vazão de água da antiga hidrelétrica hoje está vazia. Uma construção no meio da mata chama a atenção do explorador que logo se infiltra nas redes de túneis fascinantes. mega estruturas de concreto se espalham e formam uma trama que já não serve mais. De escotilha em escotilha chega-se a 15 metros de profundidade, e a ventura começa de verdade.
A estrutura é um reservatório de regulamentação para modificações do nível d'água no reservatório e para prevenir a travagem brusca de geradores. 
Lá fora, tudo estava coberto por floresta - mas da encosta pode ser visto os tubos gigantes de concreto no leito seco. 








































Fonte da pesquisa: 


Túneis do sistema de controle de cheias
Sistema de controle de cheias é um complexo de estruturas projetadas para acumular um superávit de água que entra e, após a entrada gradualmente volta ao nível inicial. Geralmente isso acontece nas chuvas. Assim, a água enche o sistema de reservatório, em vez do leito dos rios invadirem as ruas circundantes. No Japão, existem três principais tipos de tanques de armazenamento de água - fossas abertas, piscinas, reservatórios subterrâneos de tanques rasos e profundos. Por causa da estrutura gigantesca de concreto, acima dela não se pode construir prédios nem casas ou algo que exija a escavação da fundação e, geralmente é colocado acima de um playground, de um tanque ou pequeno parque. Foram construídos em 1998 e podem acomodar 160 mil metros cúbicos de água cada.































Fonte da pesquisa:

Túneis da estação Doay
No primeiro terço do século XX, a fim de ligar a costa leste e oeste da ilha de Honshu, através das montanhas de Gunma, optaram pelo uso do trem como melhor opção. O chamado "complexo Shimizu" possuía um comprimento de 9.702 metros. Devido às complexidades do tempo de construção, trabalhadores da construção civil não foram capazes de seguir um túnel direto. Em 1967 foi feito um segundo trecho de 13 milhas e meia, chamado Shin-Shimizu, e, em 1978, um terceiro de 22.200 metros, o Dai-Shimizu, para trens de alta velocidade. Este último túnel permaneceu por muito tempo o mais longo túnel ferroviário do mundo, perdendo em 2002 para outros também japoneses. A estação Doay é da década de 30 e foi mais uma das centenas de estações em todo o país. A estação Doay está a uma profundidade de 70 metros!! Sem escadas rolantes!!! Porém, após a abertura do terceiro trecho e sua estação, a estação Doay deixou de ser muito frequentada e agora a maioria dos passageiros são pessoas que andam de férias nas montanhas, as quais os degraus não assustam.



























Fonte da pesquisa:


Antiga mina que acessa as construções do metrô
Uma antiga mina com as luzes acesas e os equipamentos de controle de luz ainda na tela do computador a poucos quilômetros da construção de novos túneis do metrô. 





















Fonte da pesquisa:


Fortaleza subterrânea
A pedra como material de construção tem sido utilizado no Japão desde tempos antigos, não só para construir as bases de castelos, estátuas e degraus,  muitas no período Meiji, de estilo europeu. A região montanhosa criou condições favoráveis para o surgimento de inúmeras pedreiras. 
Cerca de 150-200 anos atrás, apareceu um monte de novas pedreiras que foram fechadas nos anos 50. A extração foi realizada principalmente forma aberta criando formas estranhas e retas.
A entrada é disfarçada, mas o acesso é fácil. Quando se conhece os caminhos.
Esta é apenas uma pequena parte da enorme variedade de pedreiras que há no Japão. Cavernas feitas pelo homem, subterrâneos com enormes rochas suspensas. 
























Fonte da pesquisa:


Antigas minas de cádmio
Existiam minas de minério de cádmio em Kamioka no final do século 19 até o final dos anos 80. Em seguida, elas foram fechadas e entregues a cientistas. Em conseqüência elas se tornam uma plataforma ideal para um observatório subterrâneo para monitorar o neutrino. No entanto, uma grande área subterrânea ainda está desocupada. São túneis molhados, com trilhos intermináveis, automóveis antigos enferrujados e brocas. 










































Fonte da pesquisa:


Tubo de perfuração abandonado
Um túnel vertical de cinqüenta metros de profundidade. Provavelmente abandonado por ter encontrado o lençol freático do subsolo. A água parou de ser drenada, mas os equipamento ainda estão lá.










Fonte da pesquisa:


O túnel azul da mina de cobre
A entrada da mina fica no meio da mata e nas montanhas, seguindo ao longo de um pequeno rio, que flui em um desfiladeiro profundo. Ao longo do caminho, encontra-se várias placas de "cuidado com os ursos". 
O túnel azul - devido ao sulfato de cobre - é um túnel de transporte relativamente simples com trilhos para pequenos carrinhos. datado de 1933 ele tem cerca de um quilômetro. Um local perigoso, com alguns desmoronamentos e muitos escombros, cabos elétricos e escadas quase que verticais para baixo em várias extensões. Desde que foi extraído o minério de cobre, as paredes, pisos e equipamentos, em muitos lugares há um azul penetrante quase verde turquesa, cores causadas pelas reações químicas do sulfato de cobre com as superfícies.
O túnel já está sendo escorado/reforçado em vários pontos, mas mesmo assim continua sendo frequentado e explorado. Talvez pelo fascínio que causa em seu visitantes.
































Fonte da pesquisa:


O túnel de lama
Mais uma mina de cobre de costume - que operava em benefício do Império - a qual começou a ser cavada em 1610. Depois de esgotada, ela foi fechada como inútil e tudo parou dentro dela. na mina encontra-se ainda a máquina de perfuração, carrinho nos trilhos e muita, mas muita água - um inimigo natural da mina. A água foi implacável.  Rompeu as barreiras e se infiltrou nos túneis deixando tudo coberto de lama.
Explorar um túnel é sempre surpreendedor, você nunca sabe o que está depois de uma curva. Pode-se encontrar uma porta entreaberta, guinchos, carrinhos, placas, níveis de água diferenciados pelo chão e até a composição da atmosfera pode variar - pode até se tornar tóxica.
A argila está por toda parte - no chão e no teto, nos cabos e tubulações. O piso contém placas postas no solo para se poder andar no local, todas submersas por uma camada de lama. Tudo é molhado e sujo do vermelho-barro. Nesses tipos de lugares é altamente aconselhável o uso de um bom par de botas.
Depois de umas centenas de metros o túnel foi bloqueado por tábuas e cordas, e o fluxo de ar quase não se sente. Chegou a hora de voltar. 








 


























Fonte da pesquisa:


Túnel da mina Okutama
Uma mina com muitos equipamentos dentro. É certo que os equipamentos de uso em minas, não têm outras serventias a não ser o uso em minas. Só que neste túnel, além dos equipamentos comuns em minas como trilhos, carrinhos, maquinário,  foram deixados veículos bem grandes. Sua estação de comando também foi deixada intacta e com energia elétrica.
Esse túnel já possui uns 19 anos, possui muitas galerias e muitos dos túneis já foram destruídos por escavadeiras, bloqueados com aterro ou entulho, ou inundadas e assoreados. A maioria dos túneis foi isolada para barrar a entrada "humanos". Um túnel muito perigoso com certeza, com descidas enormes que levam a outras galerias mais profundas. Tem coragem de ir num lugar desse? O explorador tem!



































Fonte da pesquisa:


Túnel do metrô em construção
O sistema de metrôs de Tóquio não seguem um padrão único. As diferenças vão desde o diâmetro dos túneis e tamanhos dos trens até a maneira que ele se encaixa no trilho - se encosta ou não nos trilhos.
Um túnel ainda em construção que instiga a curiosidade de exploradores urbanos que buscam lugares não acessíveis aos habitantes comuns da cidade. 






























 Fonte da pesquisa:


Túnel do metrô #2
O último túnel desta atualização é um cenário completamente high tech. A construção subterrânea no Japão é um mundo totalmente diferente, é um mundo subterrâneo real. O canteiro de obras está localizado dentro de um hangar de metal, que protege contra os elementos externos, com janelas de plástico transparente, para que os transeuntes possam ver o que está acontecendo lá dentro. A construção tem sempre estandes informativos com uma história sobre a nomeação do objeto, horas de trabalho, as brigadas de trabalho e outras informações. O próprio hangar é cercado por um muro com numerosos elementos luminosos e reflexivos. Na entrada está sempre de plantão um ou dois trabalhadores que cuidam para que ninguém acidentalmente entre no território. 
Os japoneses são extremamente exigentes de segurança do trabalho, que se expressa não só nos cartazes de advertência, mas também em todos os tipos de cercas, sinais, elementos luminosos. Além disso, o número dessas advertências pode até parecer redundante, mas no Japão se faz necessário, devido à natureza de mentalidade, todos precisam marcar e assinar. 
No Japão, qualquer poluição resultante da construção é removida imediatamente, minimizado o seu impacto no local. Mas fica a pergunta: sendo o japão uma ilha/país tão pequeno, para onde vai esse entulho todo?

































Fonte da pesquisa:


O santuário subterrâneo
Um antigo santuário escondido atrás de um portão de ferro velho e enferrujado. Em seguida um túnel escavado na rocha de calcário se apresenta ao visitante. 
Uma sensação de Indiana Jones sobe pela espinha. 
O túnel continua por cerca de 30 metros até uma pequena caverna, com vários elementos dentro e espalhados: uma estátua budista imponente com lábios vermelho-sangue, uma mesa de pedra com cadeiras, um altar na escuridão. Estátuas e bustos, vasos e outros vários objetos compõem a cena. Um lugar amedrontador e silencioso. 
















Fontes da pesquisa:



Postagem anterior:

Voltando ao assunto exploração em túneis achei outro vídeo. Um passeio de moto por alguns túneis. Uma trilha radical em túneis muito medonhos. Essa ideia de renovar postagens com pesquisas de vídeos deu um outro rumo ao blog. Espero que gostem também.

Atualizado em 07 de novembro de 2012.




Postagem anterior:

A exploração de túneis abandonados é uma atividade das mais interessantes e tenebrosas do explorador urbano, pois são locais sem luz, úmidos cheios de morcegos. Abaixo ponho um vídeo de uns caras da Pensilvânia, a galera do Sintax77 http://www.youtube.com/user/sintax77. Sintam o clima da exploração que eles fizeram:
"Em comemoração ao Dia das Bruxas, decidimos fazer uma pequena mochila, estilo exploração urbana. Para este vídeo vamos explorar o túnel Turnpike, uma seção de 13 milhas de estradas e túneis que foi abandonado em 1968 (após a abertura em 1940). Foi também um dos principais locais de filmagem para o filme de 2008 pós-apocalíptico, A Estrada. A nossa caminhada foi cobrir uma seção de dez milhas incluindo os dois túnel mais curtos do sistema, e o mais longo ". O Oblíquo Hill é uma tem 6.782 metros de túnel longo e curvo, com algumas construções antigas muito legais para explorar também. Desnecessário dizer que não há muita luz até que se chegue no meio. Assustador! assustador, de fato. Tipo como Fallout 3 em real life. A entrada oriental era também o local do "canibal caminhão" cena do filme A Estrada também."

Segue o vídeo:



Postagem atualizada em 06 de novembro de 2012.





Postagem anterior:

Na minha opinião, túneis e subterrâneos abandonados são sinistros demais. Eles existem em grande quantidade. Pesquisei muitos, mas a coleção do site "28 days later" é fantástica. Os caras mandam muito bem, além de terem também vários colaboradores. Me deu até vontade de entrar num canal de esgoto abandonado e explorar, hehe. Trouxe algumas coisas bem interessantes. Agora vamos deixar de conversa e ir aos túneis e undergrounds.

Chanel Tunnel, 1880, Inglaterra

Em 1880 houve uma tentativa de se fazer o túnel que ligaria a Inglaterra ao continente. Se já foi difícil atualmente, imagina em 1880, em plena Revolução Industrial. Os caras até bolaram uma máquina perfuradora. Uma engenhoca gigante que, infelizmente, fracassou em seu objetivo. E o túnel está lá, ou melhor, a tentativa. A Channel Tunnel Company Ltda. foi autorizada, pelo parlamento, a fazer os primeiros testes.
Na verdade propostas de cruzar o canal da mancha por meio de um túnnel, datam de antes de Napoleão. tentativas de ambos os lados foram feitas e, em 1875 um plano sério começara a ser traçado. Porém, inundações foram constantes, principalmente do lado inglês. Em 1880 houve inundação em um túnel em Cliff Abade, perto de Folkestone, seguido por outra inundação em Shakespeare Cliff, em 1881. A previsão para o término das obras era para 1886, mas o governo britânico deu para trás, ameaçado pela recente unificação da Alemanha, àquela época, se sentiu vunerável á ataques que poderiam vir da Europa. O projeto então foi cada vez mais atrasado, se arrastou, após 1882 e, em 1898 foi, finalmente abandonado. Decisão do Supremo Tribunal.





















Mais sobre o Channel Tunnel e a máquina de cavar da época, os planos do túnel, e outras coisas:


Achei um vídeo muito legal com links interessantes:



Ashby Tunnel, Inglaterra

Um trecho de 308 metros de túnel que fazia parte de um canal aquático ingllês, de 35 km, que conectava a aldeia de Leicestershire em Snarestone com o canal de Coventryem Bedworth em Warwickshire. O canal era utilizado para viagens ao norte. Várias seções do canal foram fechadas progressivamente a partir de 1918, e as viagens pararam por volta dos anos 60. O canal se Ashby-de-la-Zouch, e uma seção abandonada foi recentemente alvo de um projeto de restauro que envolve, além do restauro, a construção de uma nova rota, através do centro de Meashan.













O cãozinho é o Binky, explorador de carteirinha e companheiro fiel do amigo inglês do site "28 days later".

Em Ashby-de-la-Zouch há também um castelo em ruínas, com um túnel que leva você, simbolicamente, das trevas às luzes. Veja os vídeos do castelo:





Mais sobre o canal:



Minas em Bathampton Dowm, Devil's Cave

Claverton Down é uma região que fica na encosta de um morro, à sudeste de Bath, Somerset, Inglaterra. É uma área rural com poucas casas, que abriga a Universidade de Bath e um campo privado de golfe. É em torno deste campo de golfe que se localizam as minas abandonadas. A primeira é a caverna do Diabo, que está aberta e de fácil acesso. Possui um tamanho considerável, porém, com uma entrada surpreendentemente pequena. As outras são as de Bathampton Down, que são mais parecidas com grandes cavernas. Foram usadas como base da patrulha oprações de Bathampton na Segunda Guerra Mundial e, permanecem bem fechadas. Parabéns aos corajosos exploradores, pois o lugar é de tirar o folêgo e de deixar qualquer claustrofóbico, bem perturbado.

Caverna do Diabo














Minas Banthampton Down











Bunker Storm Drain, Warrington, Inglaterra

Um grande bueiro localizado na zona sul de Warrington, que capta águas pluviais e de transbordamentos de rios, conduzindo-as para o Canal Manchester Ship. O sistema inteiro de drenagem tem cerca de 3 km e data da década de 80. É com posto por várias câmaras de inspeção com cerca de 3 andares de altura, uma câmara de junção gigantesca, câmara de turbulência que dá início ao escoamento num tubo de queda bem grande, que diminui a velocidade da água e a transporta para outro pavimento do dreno. Canos de esgoto correndo no interior das plataformas, num cenário meio futurista, meio fim-do-mundo. Os exploradores do "28 days later" arrasam.
























Crete Road - Folkstone

Obtive poucas informações sobre este lugar. Sei que é uma estação abandonada de bombeamento de água. E a exploração foi feita no reservatório e no túnel que leva à estação.












                                                                                                        










Forgotton Culvert co Durham

Mais um bueiro de dreanagem de águas. Nosso amigo explorador descreveu a sua alegria em entrar nesse lugar. São túneis que protegem a drenagem do tráfego ferroviário que ainda passa por cima dele cerca de 100 m acima. Se trata da principal linha ferroviária de Middlesborough para Sunderland.









Ingarsby Railway Tunnel. Leicestershire

Outro túnel ferroviário. Tem 516 m e foi inaugurado em 1882 e fechado em 1964. Fazia parte da linha que viajava para Skegness e, em 1959, transportou cerca de 20 mil pessoas, com 72 trens. Uma das extremidades está emparedada e a outra possui uma porta de metal. O túnel apresenta sinais de incêndios, e detalhe no cãozinho Binky. No meio do túnel há um tubo que se abre para a superfície.























Newbold Tunnel, Nottingham

Túnel de 90 metros, feito em 1833 para o bonde Coleorton passar, foi fechado em 1968.














Minas Ironstone Northamptonshire

Essa mina deu muito trabalho para ser achada, segundo seu explorador. Depois de muitas investigações, ele achou sua entrada, e depois outra, e outra, ... O cara fez um grande trabalho, e constatou que o ar no lugar não era muito bom, portanto não se arriscou de primeira na exploração, então se equipou apropriadamente e voltou. Vejam o resultado.


















Minas St Winifred's - Bath

Mais uma mina com entradas apertadas. Clautrofóbico aqui, não tem vez! A mina foi usada até a década de 30 e fechada antes da Segunda Guerra Mundial.








Mina de Carvão Norwich


Também conhecida como o Abrigo de Rosário Road, pois foi usada como bunker durante a guerra fria. Mas foi na mineração que teve seu auge. Datadas do século 12, as minas de calcário e silexque foram, ao longo do tempo, sendo soterradas, ou esquecidas, porém, o explorado Ive rastreou algumas pistas que levam a lugares ainda acessíveis das minas. Parabéns Ive! 
As minas encontradas estão praticamente intactas e possuem um labirinto de túneis aparentemente aleatórios. Há pelos túneis camas, banheiros, luminárias, baldes, material de cozinha e até uma maca. Resquícios dos tempos que foram usadas como abrigo anti guerra. Essa galera manda muito bem.
















Hamets Tower


Um túnel abrigo. Lugar fantástico. pena eu não ter conseguido informações sobre este lugar. Visitado em dezembro de 2010.














4 comentários:

  1. Após a saida do tunel que liga a Barra da Tijuca a Gavea no RJ,direção Barra.Avista-se à esquerda um tunel de proporções medianas mas que não achei em nenhuma das pesquisas feitas através da WEB.Resta a duvida.

    ResponderExcluir
  2. Ana Paula Azambuja3 de maio de 2013 22:46

    Próximo a Pelotas - RS, existe o túnel Maciel, escavado em uma montanha pela mão dos homens, com ferramentas simples. Este túnel fazia parte de uma antiga linha ferroviária que conduzia a Canguçu. Após a desativação da linha, os dormentos e trilhos foram retirados, mas a imponência do túnel continua.

    http://www.panoramio.com/photo/59268922

    ResponderExcluir
  3. Renato, tudo bom?
    Estou com um projeto de livro e planejo utilizar as cavernas Longyou como um dos principais cenários. Queria saber se tu podes me ajudar em uma coisa: qual seria a entrada dessas cavernas? Procurei na internet e não achei, e isso seria essencial para mim.
    Agradeço muito se dedicar um tempo à minha pergunta. Abraço, Giovana Roso.

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS