sexta-feira, 22 de abril de 2016

Os Túmulos de Madain Saleh


Olá, gente boa! depois de um tempo sem internet estou de volta. Mudei de estado, de casa, e demorou um tempinho até que eu me organizasse. Bem, é isto! vamos lá, que quero mostrar esse lugar para vocês. Um grande sítio arqueológico na Arábia Saudita, um cenário espetacular, um lugar sagrado.


Os Túmulos de Madain Saleh
Madain Saleh (ou Al-Hijr ou Hegra) está localizado a 20 km da cidade de Al-Ula, na região de Madinah, na Arábia Saudita. As ruínas datam do século 1 dC, da época do reino de Nabatean, o segundo depois de Petra, a sua capital.
Em 2008, Madain Saleh foi eleito patrimônio da humanidade pela  a UNESCO, e com isso se tornou o primeiro a pertencer a Arábia Saudita. Seus restos estão bem preservados e há um conjunto de túmulos monumentais, com fachadas elaboradas e ornamentos característicos da antiguidade clássica tardia.  O cenário é notável pela sua paisagem desértica, marcada por afloramentos de arenito de vários tamanhos e alturas.
"Na sequência da descoberta de Petra pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt , em 1812, Charles Montagu Doughty, um viajante inglês, ouviu falar de um site semelhante perto de Madain Saleh, uma cidade fortificada na estrada que vai Damasco. Para acessar o site, Doughty se juntou à caravana Hadj, e chegou ao local das ruínas em 1876, registrando a visita em seu diário que foi publicado no século 19."
Embora Madain Saleh tenha sido proclamado como um tesouro arqueológico no início de 1970, poucas investigações foram conduzidas desde então. A proibição da veneração de objetos e artefatos resultou em raríssimas atividades arqueológicas nesse país. Porém, estas medidas conservadoras começaram a mudar desde o início de 2000, quando a Arábia Saudita convidou expedições para conduzir explorações arqueológicas, como parte do esforço do governo para promover a proteção do patrimônio cultural e do turismo. 
A antiga Nabatean foi construída ao redor de uma zona residencial e seu oásis. Nos afloramentos de arenito foram esculpidos os túmulos, num total de quatro grande áreas contendo 13 tumbas monumentais escavadas na própria rocha, espalhadas ao longo de 13,4 km. Muitos deles com escritos em suas fachadas. Locais de sepultamento não-monumentais, num total de 2.000, também fazem parte do sítio.
As fachadas indicavam o status social da pessoa enterrada - quanto maior e mais ornamentado era o túmulo, mais rica e poderosa havia sido a pessoa. o tamanho e ornamentação da estrutura refletiam a riqueza da pessoa. Algumas fachadas possuem placas em cima das entradas que fornecem informações sobre os proprietários, sua religião, e os pedreiros que os esculpiram. 
Nabatean estava situado no cruzamento do comércio e da cultura da região. Isto reflete-se os motivos variados das decorações de fachadas, emprestando elementos estilísticos da Assíria, Fenícia, Egito e Alexandria, tudo combinado com o estilo artístico nativo.
Madain Saleh não é um lugar acessível a qualquer pessoa, e para visitá-lo é necessário obter permissão do governo. Vejam que lugar fascinante: 























































Fontes:







Vídeos:





Um comentário:

  1. Hey, cara, parabéns pelo blog! Apesar de nunca comentar, acompanho desde 2012. Para mim, que sou arquiteto, esses lugares esquecidos trazem sensações muito peculiares. Com certeza os arquitetos que projetaram esses lugares nunca imaginaram que suas criações fossem de transformar nesses cenários incríveis depois de anos de abandono. Nenhum arquiteto faz nenhum projeto pensando em como a edificação vai ficar depois de anos de abandono, não é mesmo? rsrs Fico feliz que tenha se reestabelecido, estava sentindo falta das postagens.

    ResponderExcluir

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS