terça-feira, 7 de abril de 2020

Ani, a cidade das 1001 igrejas


Olá, gente boa, meus leitores queridos. 
Tenho acompanhado as estatísticas do blog, como sempre, e elas são as melhores. Quero agradecer pela presença. :D
Achei esse lugar especial e queria mostrar aqui. Um lugar que foi de muitos reinos e hoje é uma região turca. Uma postagem longa, pois a história do local é fascinante. Vamos lá!

Ani, a cidade das 1001 igrejas

Ani pertenceu à muitos reinos e impérios ao longo dos séculos. Dos bizantinos aos otomanos, a cidade já abrigou milhares de pessoas, tornando-se um centro cultural e de poder regional sob a dinastia armênia bagrátida medieval. Hoje, é uma cidade fantasmagórica e abandonada.
Sozinha em um platô nas longínquas terras do nordeste da Turquia. As suas muitas ruínas se desfazem no vento há mais de 90 anos. essa região marca a fronteira entre a Turquia e a Armênia.
Das muralhas de Ani se tem uma vista panorâmica das ruínas que englobam trezentos anos e cinco impérios - incluindo os armênios, bizantinos, turcos, georgianos e otomanos. O platô Ani foi cedido à Rússia quando o Império Otomano foi derrotado na Guerra Russo-Turca de 1877-78. Após o início da Primeira Guerra Mundial, os otomanos lutaram para recuperar o nordeste da Anatólia e, apesar de terem recuperado Ani e a área circundante, a região foi entregue à recém-formada República da Armênia. O local mudou de mãos pela última vez depois que a nascente República Turca o capturou durante a ofensiva oriental de 1920 na Guerra da Independência da Turquia, que fechou oficialmente sua fronteira terrestre com a Armênia em 1993, em resposta a um conflito territorial entre a Armênia e o aliado da Turquia, o Azerbaijão.



quarta-feira, 1 de abril de 2020

Dargavs, a "Cidade dos Mortos" na Rússia.

 

Olá, gente boa. Espero encontrá-los todos muito bem. 
Hoje quero falar de uma vila, que na verdade é uma espécie de cemitério. Sua história envolve alguns mistérios e superstições... Vamos lá!

Escondida nas montanhas do Cáucaso, há uma "cidade" com uma história tão sombria... os habitantes locais acreditam que aqueles que entram na cidade misteriosa nunca mais voltarão.

Dargavs, a "Cidade dos Mortos" na Rússia.

O antigo complexo arquitetônico de Dargavs, na República da Ossétia do Norte, definitivamente merece ser mais conhecido e até parece ser um bom candidato ao status de Patrimônio Mundial da UNESCO. Esta área é habitada desde a idade do bronze e acredita-se que seja o centro do que era conhecido como Tagauria - que acreditava ser uma sociedade formada pelos descendentes de Taga, e talvez até o próprio Taga morasse aqui. Os prédios na colina nunca foram usados ​​como casas, na verdade são túmulos e todo o local é um cemitério. Por esse motivo, é frequentemente referida como a Cidade dos Mortos. A vila de Dargavs é considerada um dos lugares mais assustadores da Rússia - está erguida sob cerca de 10.000 corpos.

segunda-feira, 30 de março de 2020

A cidade proibida russa, na Alemanha - Wünsdorf


Boa noite, gente boa.
Amigos leitores distantes e os que estão perto, cuidem-se! ouçam apenas as fontes oficiais dos seus países e não deem ouvidos às notícias que circulam nas mídias sociais, a maioria notícias falsas, enganosas e tendenciosas. Protegendo-se vocês estarão protegendo os seus amados e a sua comunidade. Muita força para todos e espero que o blog os distraia nesses tempos incertos.
Vamos à postagem!

Wünsdorf 
A cidade proibida russa, na Alemanha

Há uma base militar no leste da Alemanha, abandonada por 25 anos, conhecida como a "Cidade Proibida". É o complexo Wünsdorf em Zossen - a cerca de 32 quilômetros de Berlim - e foi construída no início do século XX e usada para abrigar prisioneiros de guerra durante a Primeira Guerra Mundial e, em 1935, tornou-se a sede das forças armadas da Alemanha, servindo como centro de comando militar nazista durante a Segunda Guerra Mundial.



terça-feira, 24 de março de 2020

Abuna Yemata Guh e as igrejas no céu da Etiópia



Boa tarde para todos, meus caros. Espero encontrá-los em perfeita saúde e em paz.
Queridos, enfrentamos tempos difíceis e espero trazer um alento e distração para os leitores fieis e postarei com mais frequência.
Recentemente notei através das estatísticas do blog um grande acesso da China. Quero agradecer aos amigos chineses por isso e dizer que sinto muito por suas perdas durante a pandemia.

Abuna Yemata Guh e as igrejas no céu da Etiópia
Quero mostrar hoje um lugar também relacionado à religião e fé das pessoas como na postagem anterior é a igreja de Abuna Yemata Guh. Ela é uma igreja monolítica localizada na região de Tigray, na Etiópia. Ela está situada a uma altura de 2.580 metros (8.460 pés) e deve ser escalado a pé para alcançá-la. É notável por suas cúpulas e pinturas de parede que datam do século V e sua arquitetura.
Abuna Yemata Guh está no topo de uma falésia desde o século V dC. Visitar esse lugar exige uma subida de seis metros por uma parede de rocha sem cordas e atravessar bordas estreitas com quedas de 200m.





segunda-feira, 23 de março de 2020

Os pagodes de Idein, Myanmar



Boa tarde, gente boa. Espero encontrar todos os meus leitores com muita saúde e paz. 
Nesses tempos de isolamento social atualizarei o blog frequentemente para que vocês tenham uma opção a mais em suas casas para se distrair.

Os pagodes de Idein, Myanmar

Esse é um local que encontrei recentemente em pesquisas que faço, é um local fascinante.
Na margem ocidental do lago Inle, no coração das selvas de Myanmar, fica a pequena vila de Indein, com centenas de pagodes antigos de muitas formas e tamanhos. Alguns deles foram restaurados, mas a maioria está em ruínas, coberta de arbustos.
Para se chegar na vila o caminho é somente de barco, por um longo e estreito canal do rio Inn Thein, que é coberto de densa vegetação e de rota sinuosa. O caminho de 8 km de barco pode ser feito apenas na estação chuvosa e no inverno, pois no verão as águas se tornam muito rasas.
Existem dois conjuntos de pagodes em torno de Indein - Nyaung Ohak e Shwe Inn Thein.
Vejam que lugar fantástico:


TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS