quinta-feira, 19 de maio de 2022

Colégio Cenecista Luzardo Viana CAUCAIA-CE

Olá, gente boa!
Aposto que pensaram que o nosso Lugares Esquecidos estava literalmente esquecido, não é mesmo?

Pois graças ao nosso amigo e colaborador DJ Braguinha o nosso Blog continua. Obrigado, amigo, estava precisando desse gás. Tanta coisa aconteceu, pandemia, guerra, tanta coisa está acontecendo em nosso Planeta ... estou solidário aos meus leitores da Ucrânia e será que ainda tenho algum? :`( 

O meu querido Braguinha nos trouxe um relato de grande memória afetiva e eu tenho certeza que haverá muitos comentários e lembranças. Vamos lá!'


COLÉGIO CENECISTA LUZARDO VIANA, CAUCAIA-CE (1960-2017)

7 de setembro, 1992.

Fala, galera! Aqui é Dj Braguinha escrevendo diretamente de Caucaia, a 10km de Fortaleza-CE.

Hoje, posto aqui pra vocês a reportagem que fiz para uma página de notícias local dentro do prédio do antigo Colégio Cenecista Luzardo Viana. Mais embaixo postei a história do colégio, mas por enquanto quero focar na minha experiência pessoal e como consegui adentrar o prédio.


A primeira Sede, em 1961.

A ultima Sede, em 2017.

Professores da Escola em 1986.

Turma da quinta serie, em 1993.

O "Abraço Simbólico", dado no prédio em 2021.


Minha história com o Luzardo (como ele era chamado aqui na cidade) começou em 2000, quando fui matriculado para fazer o Ensino Médio, e lá fiquei até 2002. Portanto, fazia 20 anos que eu não punha os pés lá. Aqueles 3 anos foram os mais gloriosos da minha vida, onde fui muito feliz, com a descoberta das amizades verdadeiras (que perduram até hoje), das decepções amorosas, das namoradas e tudo aquele que envolve o mundo juvenil. Fui realmente muito feliz lá. Em 2008, entrei lá novamente, mas infelizmente, para o velório de um professor querido. Em 2017, o colégio fechou.

COMO ENTREI NO PRÉDIO.
Não foi fácil entrar no prédio. Desde que o colégio fechou, ele vivia fechado e os muros são altos e tem arame circulado por toda a estrutura. Aproveite que ouvi falar que estavam derrubando o prédio e corri até lá. Vi alguns operários pela fresta do portão da quadra. Implorei para entrar, afirmando que era ex-aluno e que queria só me despedir do meu gigante, ver suas entranhas pela última vez. O mestre dos operários pediu pra eu esperar. Esperei por dias horas e nada. Chamei e ninguém veio. Então, vi um fio que saía de dentro do prédio para uma farmácia vizinha. Por sorte, o empregado da farmácia era meu conhecido. Ele disse que os operários estavam puxando energia da farmácia, pois o gerador ainda não havia chegado. Através da intercessão dele e com muita insistência, o mestre então me deixou entrar, com a promessa que eu não fotografasse o local. Como ele não me seguiu, aproveitei. Consegui adentrar na antiga biblioteca, diretoria, cantina, sala dos troféus (o colégio era uma potência esportiva, chegando a ser campeão brasileiro estudantil no Rio de Janeiro em 1999) e até na sala onde estudei. Só não filmei a quadra porque os operários estavam lá.
Publiquei a reportagem em uma página de notícias onde envio contribuições e a notícia de que estavam demolindo o colégio causou grande comoção na cidade. Incrivelmente, a demolição parou. Semana passada (abril de 2022) houve um abraço simbólico no prédio, onde compareceram ex-alunos e ex-funcionários. Um ex-prefeito e vereadores disseram que até tentaram transformar o colégio em escola pública (ele era particular), porém o novo dono cobrou 60 mil reais de aluguel, o que inviabilizava o negócio. Hoje, o prédio continua abandonado e há um movimento político para que ele se transforme em escola militar gerida pelo estado.

PORQUE O COLÉGIO FECHOU
A versão mais falada na cidade é de que o colégio perdeu muitos alunos. Chegou a ter mais de 2000 alunos quando estudei lá, porém, com a concorrência dos colégios menores nos bairros periféricos, o colégio quando fechou contava apenas com 203 alunos e muitos deles inadimplentes. A famílias preferem matricular os filhos nas escolas particulares menores, mas perto de casa, onde o estudante vai à pé, ao invés de ter outra despesa com deslocamento ou pagar transporte escolar.
Diante deste e de outros aspectos examinados, levaram ao fechamento do Centro Educacional Cenecista Luzardo Viana no dia 31 de Dezembro de 2017 depois 57 anos de funcionamento.






  
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TOP 10 - POSTAGENS MAIS POPULARES DO MÊS